As velas no espiritismo O Perigo de acender uma vela para oração

Essas práticas rituais são comumente empregadas nas religiões espiritualistas de matriz africana ou indígena como a umbanda, o candomblé, o Vale do amanhecer, a Jurema…

O Perigo de acender uma vela para oração

Que embora respeitáveis, nada têm a ver com o Espiritismo.  

A Doutrina Espírita tambem não emprega imagens, colares, cristais, charutos, amuletos, banhos, sal, mantras, benzimentos, pontos riscados, roupas exóticas e nem impõe vestimentas de determinadas cores.  

Objetos materiais como velas e imagens são apenas muletas utilizadas por quem ainda não se libertou dos condicionamentos adquiridos em múltiplas existências, dentro das religiões tradicionais.  

Pergunta – “Aquele que, errado ou certo, tem confiança no que chama virtude de um talismã, não pode

por essa confiança mesma atrair um espírito, porque, então, é o pensamento que age?  

Veja:

Acender uma vela É verdade, mas a natureza do Espírito 

Resposta – “É verdade, mas a natureza do Espírito atraído depende da pureza da intenção e da elevação dos sentimentos.  

Ora, é raro que aquele que é tão simples para crer na virtude de um talismã não tenha objetivo mais material que moral.  

Acender velas 

Devota praticante de valores religiosos herdados dos pais, procurava amenizar sua dor acendendo com frequência uma vela em favor do falecido.  

Para ela, aquela fonte de luz e calor bem próxima de suas mãos era como um bálsamo que lhe acolhia em todos os momentos de angústia.  

Acendia vela para o falecido, para o filho quando viajava para longe, para a neta nos dias de provas, enfim, preocupação era sinônimo de uma vela acesa na cozinha.  

Não aguentando mais guardar para si, resolveu dividir sua angústia com sua amiga, dona Felícia, que sempre vinha fazer tricô com ela no final da tarde.  

Acender velas  Dito e feito 

Dito e feito, no sábado seguinte dona Armênia estava recebendo o atendimento fraterno no Centro.  

No seu íntimo ela achava que de alguma forma receberia notícias do marido naquela visita.  

Arlindo, a casa está vazia… Arlindo!” – E depois da prece dormia no tormento dos pesados sonhos.  

Uma inesperada comunicação supostamente atribuída ao seu marido havia sido recebida por um médium da Casa.  

Orientada pelo médium, percebeu que suas preces, ao invés de motivá-lo, estavam envolvendo-o cada vez mais em laços

fluídicos que não o deixava perceber os planos para os quais deveria enveredar-se.  

Em vez de sentir o amor e o carinho da família, Arlindo inquietava-se continuamente com o sofrimento da esposa.  

“Dona Armênia, é necessário que suas palavras em prece possam envolver o seu marido no amor verdadeiro que existe

entre vocês aliado ao sentimento de motivação e continuidade.  

Recorra à espiritualidade sublime de luz para que lhes esclareça, console e envolva vocês na esperança de que no

amanhã poderão estar juntos novamente.”.  

Toda boa intenção 

Não há problemas em acender as suas velas, desde que não se esqueça da prece ardente e sincera em benefício de

vocês dois.  

Se assim for, bons Espíritos estarão ao lado de vocês sugerindo bons pensamentos e dando-lhes as forças que

necessitam.”.  

Facebook Comments