Acordos Espirituais – Sinais deles na sua vida

alando de Acordos Espirituais como podemos identificar os sinais deles na nossa vida?

Acordos Espirituais – Sinais deles na sua vida


Parece muito difícil, mas na verdade é mais fácil do que parece. Vou ensinar uma técnica simples para curar a nossa vida e identificar o por que nascemos neste corpo, com esta vida e este amor! Gostou?! Então, fica comigo que este vídeo é para você!

A lei do esquecimento Nós nascemos sob a Lei do Esquecimento, que nos dá a oportunidade de resgatar o que fizemos no passado, hoje, com a maior neutralidade possível.
Por que situações se repetem constantemente provocando verdadeiras guerras dentro das famílias, conflitos no trabalho e desavenças nas amizades?
Por que existe o sentimento de vazio, uma tristeza profunda, uma raiva mal disfarçada, um vício que sabemos não nos fazer bem, mas o mantemos igualmente, um sentimento de que está tudo errado?
Ao longo desses 09 anos em que venho atuando como terapeuta holística, psicoterapeuta reencarnacionista, ministrando cursos e palestras, recebi um presente (que hoje é um curso e está em fase de revisão para publicação) que foi um Amparador Espiritual, em meio a uma regressão terapêutica (sem o uso da hipnose, conduzida pelo plano espiritual) me dizer claramente ser porque não estamos cumprindo nossos Acordos Espirituais firmados antes de nascer.
Segundo ele, é muito difícil sair dessa vida com o sentimento de dever cumprido se não nos focarmos em compreender por que nascemos e, principalmente, não vivermos nesse propósito.
A consciência do que foi vivido em outrora, imortal, que habita um veículo para a sua manifestação no físico, o corpo, que é mortal, que é finito.
Tudo o que já realizamos no passado é levado em conta nesses momentos em que combinamos a próxima vida.
Esses acordos são o ponto de arrancada para cada um de nós seguirmos em frente, trata-se de uma continuação de uma proposta de expansão, de elevação e superação de conceitos, de emoções, de ações que constroem toda a nossa essência de quem somos e o que viemos fazer aqui, nesse planeta, quando nascemos.
Em outras palavras: elos formados que precisam ser desmanchados, perdoados e libertados para seguirmos em frente nessa caminhada de amadurecimento espiritual são organizados, sistematizados em projetos reencarnatórios, ou seja, os Acordos Espirituais.
Eles é que determinam a forma que tomaremos (corpo físico: homem, mulher, magro, gordo…), nosso jeito de expressar e reagir diante dos desafios, o grupo de pessoas que estarão mais próximos de nós (família), a localização geográfica no planeta que mais condiz com nosso objetivo de vida.
Um plano que prima pelo que devemos fazer na atual vida, baseado no que foi feito ou deixado de fazer no passado.
Cada um deles possui aprendizados específicos que definem estruturas de vida próprias, com pessoas com perfis determinados.
De maneira resumida, afinal trata-se de um artigo e não o livro que será em breve publicado, esses grupos estão voltados a:

VICIADOS: Em comida, álcool, drogas, sexo, ganância, poder, materialismo, vitimismo, reclamação, suicidas…
APEGADOS: As pessoas, aos objetos (bens materiais), ao corpo físico, a família, aos animais, as empresas, aos seus ideais…
BUSCADORES: estudantes da ciência divina, professores da área, leitores, todo aquele que despertou em vida e agiu nesse sentido, contribuindo não somente para si mesmo crescer, mas todo aquele que o quis e aceitou.
Na questão 399 sobre o “Esquecimento do passado” percebe-se que, mesmo que haja a Lei do Esquecimento, se a pessoa está verdadeiramente buscando resistir às tendências Instintivas que ela traz de outras existências, é possível abrir uma brecha para que ela tenha consciência do que se passou em nome do seu autoconhecimento.
Desta maneira, utilizando do nosso livre arbítrio, podemos receber auxílio para superar as nossas vicissitudes da vida corporal atual, ou seja, nossos Acordos Espirituais.
Questão 399: “Alcançado o termo marcado pela Providência para sua vida errante, o próprio Espírito escolhe as provas às quais quer se submeter para acelerar o seu progresso, quer dizer, o gênero de existência que ele crê mais apropriado para lhe fornecer os meios, e essas provas estão sempre em relação com as faltas que deve expiar.
Espírito goza sempre de livre arbítrio e é em virtude dessa liberdade que, no estado de espírito, escolhe as provas da vida corporal e que, no estado de encarnado, delibera se as cumpre ou não […].
Entrando na vida corporal, o espírito perde momentaneamente a lembrança de suas existências anteriores, como se um véu as ocultasse.
mas é apenas pela vontade de Espíritos superiores que o fazem espontaneamente, com um fim útil e jamais para satisfazer uma vã curiosidade.
Para romper com o círculo vicioso de vidas e vidas desperdiçadas, onde usando do livre arbítrio decidimos não crescer, não evoluir e sim, nos alienar, nos deixando envolver pelas distrações que cada uma delas nos propôs como uma armadilha.
Infelizmente, hoje, ainda, estamos nos enganando fortemente ao acreditar que o objetivo da nossa vida é ter o carro do ano, uma família, uma casa própria, viajar, ter dinheiro no banco…
chegada a hora de expandir a nossa consciência e romper com velhos padrões de comportamentos que são apenas os resultados de existências passadas onde no desviamos do propósito de evoluir.
Esses dias, em meio a uma regressão terapêutica (modelo da Psicoterapia Reencarnacionista) um mentor falava a pessoa que se submetia a regressão:

Nós estamos acostumados a ver as pessoas combinarem conosco a sua estrutura de vida, a mais adequada aos seus resgates e quando nascem, reclamarem fortemente, acreditando que somos responsáveis por tudo de ruim que acontece em suas vidas.
E, com você não foi diferente…” Nessa hora a pessoa regredida ri, pois o Mentor colocou essa última observação com muito bom humor…
Qual é o resultado de escolher conscientemente não aceitar aos convites, aos sinais, aos pedidos de crescimento?
Uma vez que a pessoa só tem dois caminhos de evolução a serem cumpridos: o aprendizado pelo amor e pela dor, não há como fugir disso, quando ela não decide por si crescer, o universo traz até ela situações, pessoas, sofrimentos, dores que a sacodem e “gentilmente” as empurram em frente…
Nesse momento, os desgostos, as aflições, a doença, as brigas, a tristeza, a morte de alguém, o desespero, as angústias, a ansiedade, as traições, entre muitos outros, nos ensinam a enxergar a vida com outros olhos.
Em uma nota de zero a dez, quanto você estaria disposto a mudar hábitos e formas de pensar, sentir e agir no seu dia a dia?
Tudo muda, tudo segue em frente, mesmo que nós decidamos não querer, a vida se encarrega de nos lembrar que não estamos cumprindo nossos Acordos Espirituais firmados.
Segue algumas dicas simples e objetivas que coloco para as pessoas que chegam até mim, seja de maneira profissional (consultório, palestras ou cursos) ou de maneira pessoal.
Desejo, de todo o meu coração, que essas dicas te ajudem a sair dessa vida, no mínimo, melhor do que você entrou…
O esforço é muito grande quando manipulamos, quando queremos a perfeição, quando gostaríamos que os demais pensassem como nós, quando aspiramos manter o poder a qualquer custo…
Mudar de pensamento quando ele está lhe apontando um caminho equivocado, rever seus sentimentos, mudando assim, o seu comportamento com tudo e todos ao seu redor.

Facebook Comments