4 Casos de Psicografias Comprovadas pela Ciência

Casos de Psicografias Comprovadas. Guilherme Velho de Albuquerque, empresário, é natural do Recife.

4 Casos de Psicografias Comprovadas pela Ciência

Assine a nossa Newsletter



 

Pesquisador de fenômenos paranormais e conferencista internacional, com palestras realizadas em vários estados brasileiros e mais de trinta cidade no exterior. Graduado em Psicologia, já concedeu dezenas de entrevistas a jornais, revistas e TVs, todas abordando temas relacionados à imortalidade da alma e da vida após a morte.

Pelo fato de admitirmos os efeitos decorrentes da existência da alma, teríamos que aceitar todos os fatos qualificados de maravilhosos, teríamos que ser os campeões dos visionários, os adeptos de todas as utopias, de todos os sistemas excêntricos? Seria necessário conhecer bem pouco o Espiritismo para assim pensar. Mas os nossos adversários não se importam com isso. A NECESSIDADE DE CONHECEREM AQUILO DE QUE FALAM É O QUE MENOS LHES INTERESSA.”

A mensagem que todo filho precisa ouvir

A aquisição de qualquer ciência exige tempo de estudo. Ora, o Espiritismo que toca nas mais graves questões da Filosofia, em todos os setores da ordem social, que abrange ao mesmo tempo o homem físico e o homem moral, é em si mesmo toda uma Ciência, toda uma Filosofia, que não podem ser adquiridas em algumas horas.”

Os céticos, os espíritos fortes, que têm o privilégio exclusivo da razão e do bom senso, não creem naquilo que não podem compreender.”

BOLSONARO VAI ASSINAR LIBERAÇÃO DE ARMA DE FOGO A PEDIDO DE MORO VISÃO ESPÍRITA

Neste Capítulo, Kardec explica que as manifestações ou fenômenos espíritas nada tem de maravilhoso ou de sobrenatural, partindo do princípio que “consideram-se sobrenaturais os fenômenos que são contrários às leis da Natureza”. Nós só poderíamos fazer tal afirmação se conhecêssemos as leis da Natureza na sua plenitude, o que não acontece.

Kardec explica os fenômenos espíritas, lembrando-nos que “o pensamento é um atributo do Espírito”. A possibilidade de agir sobre a matéria, de impressionar os nossos sentidos e portanto, de transmitir-nos o seu pensamento é uma conseqüência, podemos dizer, de sua própria constituição fisiológica.

 

 

Facebook Comments