Diferentes Desencarnes, Como Se Processa? Sensações, Emoções, Vampirização!

Muito comum, mesmo entre os espíritas, que se faça confusão entre os termos morte e desencarne,

Anete Guimarães – Diferentes Desencarnes, Como Se Processa? Sensações, Emoções, Vampirização!

porém os termos possuem sentidos diferentes e a compreensão deles nos ajudará a esclarecer um assunto muito importante: o que acontece com o Espírito no momento da morte do corpo? Ela é dolorosa? É igual para todos? É a todas essas perguntas que tentaremos esclarecer neste artigo.

Diferentes Desencarnes

 

Para ajudar a esclarecer esse assunto tão fascinante é preciso, antes de tudo, conhecermos o significado dos termos morte e desencarne para o Espiritismo.

– A morte é o fim da vida do corpo físico, ocorre quando o corpo, natural ou forçadamente, não tem mais condições de se manter vivo.

– O desencarne é o processo de desligamento do Espírito, e seu corpo espiritual ou perispírito, do corpo físico.

 

Ao reencarnar o Espírito se une ao corpo físico através de seu perispírito molécula a molécula, no desencarne esse processo é invertido e o Espírito se desligará do corpo também molécula a molécula.

A esse respeito Kardec escreveu que “o fluido perispiritual só pouco a pouco se desprende de todos os órgãos, de sorte que a separação só é completa e absoluta quando não mais reste um átomo do perispírito ligado a uma molécula do corpo”. 


É importante ressaltar o fato de que morte e desencarne acontecem, normalmente, em momentos distintos.

 

Mas Kardec generaliza os diferentes “tipos” de desencarne quanto ao momento em que se dão e conseqüentemente quanto à facilidade ou dificuldade do processo.


  • Os exemplos devem ser entendidos como casos extremos e, portanto, existem muitas variações entre um tipo e outro. Essa generalização foi feita em quatro grandes grupos que são:
  • Se nesse momento a coesão dos dois elementos (os dois corpos espiritual e carnal) estiver no auge de sua força, produz-se uma espécie de ruptura que reage dolorosamente sobre a alma.

Se a coesão for fraca, a separação torna-se fácil e opera-se sem abalo.

 

Se após a cessação completa da vida orgânica existirem

ainda numerosos pontos de contacto entre o corpo e o perispírito,

mas a alma poderá ressentir-se dos efeitos da decomposição

do corpo, mas até que o laço inteiramente se desfaça”

Kardec mais uma vez vem nos esclarecer que “

o estado moral da alma é a causa principal que

influi sobre a maior ou menor facilidade do desligamento.

Mas A afinidade entre o corpo e o perispírito está em razão do apego do Espírito à matéria;

está em seu máximo no homem cujas preocupações todas

se concentram na vida e nos gozos materiais;

mas ela é quase nula naquele cuja alma depurada

está identificada por antecipação com a vida espiritual. 


Mas Uma vez que a lentidão e a dificuldade da separação estão

em razão do grau de depuração e de desmaterialização

da alma, depende de cada um tornar essa passagem

mais ou menos fácil ou penosa, agradável ou dolorosa”

-fonte: livro/ O Céu e o Inferno, Allan Kardec-

Facebook Comments