Entrevista Com Um ALIENÍGENA Capturado e FILMADO Pelos Estados Unidos

Entrevista Com Um ALIENÍGENA Capturado . 2 pilotos da Marinha e um objeto que ‘acelerou como nada que eu já vi’

Assine a nossa Newsletter



 

 

O
seguinte relato é de um incidente em 2004 que os defensores da pesquisa sobre UFOs (OVNIs) dizem que é o tipo de evento digno de mais investigação, e que foi estudado por um programa do Pentágono (Advanced Aerospace Threat Identification Program) que investigou UFOs.

Os especialistas advertem que as explicações terrenas geralmente existem para tais incidentes e que não saber a explicação não significa que o evento tenha origens extraterrestres.

capitão de fragata David Fravor e o capitão de corveta Jim Slaight estavam em uma missão de treinamento de rotina no Oceano Pacífico a 100 milhas da costa oeste dos EUA, quando o rádio em cada um dos seus F/A-18F Super Hornets chamou: um oficial de operações a bordo do USS Princeton, um cruzador da Marinha dos EUA, queria saber se eles estavam carregando armas.

Os objetos apareceram repentinamente a 80.000 pés de altitude, e então se precipitaram para o mar, eventualmente parando a 20.000 pés e pairando.

O Princeton alertou-os quando eles fechavam sobre o contato, mas quando eles chegaram ao “merge plot” com o objeto – linguagem da aviação naval por estarem tão perto que o Princeton não sabia quais eram os objetos e quais eram os caças — nem o comandante Fravor nem o comandante Slaight podiam ver qualquer coisa no início.

Voando 50 pés acima do mar agitado estava uma aeronave de algum tipo – esbranquiçada – que tinha cerca de 40 pés de comprimento e forma oval.

O nave estava pulando de forma errática, mantendo-se sobre o distúrbio das ondas, mas não se movendo em nenhuma direção específica, disse o comandante Fravor.

comandante Fravor começou uma descida circular para olhar mais de perto, mas quando ele se aproximou, o objeto começou a subir em direção a ele.

Os dois caças se comunicaram com o oficial de operações do USS Princeton e foram encaminhados a um ponto de encontro a 60 milhas de distância, chamado ponto de CAP (Combat Air Patrol), na linguagem da aviação.

“Estávamos a pelo menos 40 milhas de distância, e em menos de um minuto essa aeronave já estava no nosso ponto de CAP”, disse o comandante Fravor, que se aposentou da Marinha, na entrevista.
Os superiores do comandante Fravor não investigaram mais e ele continuou com sua carreira, desdobrando-se para o Golfo Pérsico para prestar apoio aéreo às tropas terrestres durante a guerra do Iraque.

 

Facebook Comments