Espírita tem problema com dinheiro? O caso Zíbia Gasparetto

Espírita tem problema com dinheiro? O caso Zíbia Gasparetto

 

O Espiritismo diz que tanto a riqueza quanto a pobreza são provas difíceis que exigem o equilíbrio.

Qual é a sua relação com o dinheiro ? Você acha que ser pobre á uma virtude ?

Ou o seu grande objetivo é ficar rico, ter dinheiro ?

Como eu acho que você seja uma pessoa equilibrada, espero que não se identifique com nenhuma das alternativas. Assim como tudo na vida, a sua relação com o dinheiro também requer equilíbrio.

É que o dinheiro, juntamente com o sexo, é a grande paixão humana ;

a grande obsessão da humanidade encarnada.

Nossa cultura cristã, mal interpretada, nos passou a ideia de que dinheiro é pecado.

Todos gostam de dinheiro Mas hoje já somos esclarecidos o suficiente para saber que o dinheiro é a principal ferramenta do progresso intelectual.

Sem dinheiro não há trabalho, nem pesquisas, nem avanço tecnológico, nem o conforto e a comodidade em que podemos viver hoje em dia. Ou você acha interessante pegar água de poço ?

Ler à luz de lampião ? Acender o fogão a lenha pra cozinhar ?

Percorrer grandes distâncias no lombo do cavalo ?

Essas imagens são muito bonitas, nos remetem a coisas simples e tranquilas.

Mas a privação nos faz valorizar a fartura.

A carência de dinheiro nos faz dar o devido valor às coisas que o dinheiro proporciona.

Pode ser que a falta de dinheiro seja resultado da ativação da Lei de causa e efeito.

Se você abusou do dinheiro numa reencarnação, pode ser que você sofra a carência de dinheiro para se reajustar com a ideia de dinheiro, para você reaprender a usá – lo de maneira harmônica e construtiva.

Você pode reencarnar com algumas limitações, entre elas a falta de dinheiro.

A expiação só é necessária até haver o aprendizado.

Se há a rearmonização com o dinheiro, se ele passa a ser visto como meio e não como fim, não há porque permanecer na pobreza.

Mas as exceções demonstram que é possível vencer a pobreza e as dificuldades mesmo em condições menos propícias.

Se todos fossem ativos e trabalhadores, se todos desenvolvessem o mesmo grau de inteligência, se todos tivessem confiança em si mesmos, se todos fossem gratos a Deus pela abundância e fartura que o universo nos oferece, se todos fizessem mais do que se espera que façam, todos ficariam ricos.

 

Facebook Comments