Superando a Falta de Esperança – Nick Vujicic

Superando a Falta de Esperança – Nick Vujicic

Superando a Falta de Esperança – Nick Vujicic

É muito doloroso acompanharmos nas redes sociais e na mídia de forma geral, o crescente número de suicídios entre jovens.
Justamente eles, os jovens, que são os maiores detentores da alegria e irreverência sem justificativa e que possuem tanto tempo para se descobrir, construir e experimentar… Pois é… Os desafios são muitos e as lutas, muitas vezes apresentam-se de difícil superação.
Se para os chamados ‘adultos’ o é, imaginemos para as crianças, adolescentes e jovens que ainda estão em processo de autodescoberta e já são tão cobrados por nós, para que sejam os melhores em tudo que fazem, para escolherem o caminho que nós julgamos ser o mais adequado, sem levarmos em consideração, na maioria das vezes, o que aquele indivíduo sonha e aspira.
Qual a verdadeira abertura que estamos construindo para que o diálogo seja frequente e franco, e não apenas um monólogo autoritário, fazendo uso do rótulo que possuímos como pais, avôs, tios, irmãos e educadores?
Estamos educando nossos jovens para TERem um excelente emprego, sucesso profissional e financeiro, para TERem condições de morarem em bairros nobres e circularem com seus carros modernos e possantes, mas estamos deixando de educar nossos jovens para SERem felizes, realizados, solidários, comprometidos e autoconfiantes!
Nossos filhos não precisam de todo conforto e modernidade que nosso dinheiro pode comprar, mas precisam da atenção e do amor que podemos oferecer, pois se isso faltar, as consequências podem e serão graves e irreversíveis.
brunooyellowMeus queridos amigos e irmãos, eis aqui este artigo importantíssimo da minha querida amiga expositora espírita de Recife-PE, Ida Lice., que faz parte da Associação Espírita Lar de Silas, localizada no bairro do Rosarinho, mesma casa do meu querido preceptor espiritual Estevão Coimbra.
Recentemente Ida compartilhou conosco a triste notícia do suicídio de um jovem próximo de sua família, aos vinte e poucos anos de idade, fato este que a motivou a escrever esse artigo dizendo assim para mim : “Algo que pensei para ajudar nossos jovens, Bruno”.

Facebook Comments