LIVRE-ARBÍTRIO e DESTINO conheça a diferença

As palavras “carma”, “destino”, “livre-arbítrio”, sempre provocam no ser humano, em geral, algumas dúvidas,

LIVRE-ARBÍTRIO e DESTINO conheça a diferença

questionamentos de natureza existencial, porque ainda que não tenhamos qualquer crença religiosa, mesmo sendo o mais “convicto” materialista, nossas dores morais e físicas, nossa felicidade e desditas, os acidentes de percurso da vida, despertam-nos para as realidades da alma humana.

LIVRE-ARBÍTRIO

– Muitas e muitas vezes temos ouvido afirmativas como essa, de pessoas de diferentes classes sociais, cultura, profissão, religião, orientação sexual, e outros indicadores, conferindo às palavras carma e destino o mesmo significado: errado!

Carma – as primeiras noções da lei de causa e efeito, segundo a qual a cada ação corresponderá, no plano moral ou físico, uma reação, revelando as causas do destino do destino do homem.

Primeiramente, na definição da palavra “carma” existe explícito, segundo observamos em nosso grifo, a idéia de carma=peso do destino a ser carregado por uma pessoa, ou seja, todo carma é um peso.

Nossa reflexão é no sentido de harmonizarmos os conceitos de carma, destino e livre-arbítrio, retirando-lhes os conteúdos deterministas, para uma visão ampla e transcendente, mais adequada com os aspectos educacionais e retificadores da reencarnação.

palavra “carma” não é mencionada em nenhum momento por

Kardec, ou pelos espíritos comunicantes das obras básicas,

entretanto, como sinônimo de ação, a cada nova existência

o homem progredirá inexoravelmente, até atingir a perfeição,

como estipulado no penúltimo parágrafo do

RESUMO DOS PRINCIPAIS PONTOS DA DOUTRINA ESPÍRITA:

“Mas também nos ensinam que não há faltas imperdoáveis,

que não possam ser apagadas pela expiação.

Pela reencarnação, nas sucessivas existências, mediante seus

esforços e desejos de melhoria no caminho do progresso,

o homem avança sempre e alcança a perfeição, que é a sua destinação final”.

Ainda com relação ao destino, utilizado como sinônimo de fatalidade,

porque, assim. Kardec pergunta aos espíritos, na questão nº 851 do Livro dos Espíritos:”

Haverá fatalidade nos acontecimentos da vida, conforme

o sentido que se dá a essa palavra, ou seja,

todos os acontecimentos são predeterminados?

Falo das provas de natureza física,porque, quanto às de natureza moral

e às tentações, o Espírito, ao conservar seu livre-arbítrio quanto

ao bem e ao mal, é sempre senhor para ceder ou resistir …”.

Analisando superficialmente a resposta, podemos concluir

que o espírito humano escolhe o tipo de vida que irá desfrutar durante sua encarnação

– logo, não há destino

– e, que o livre-arbítrio é a grande alavanca da evolução, a todos nós que estamos encarnados no planeta.

Facebook Comments