Rancho Skinwalker O LUGAR MAIS ESTRANHO DA TERRA

Localizado nos EUA, é uma propriedade particular muito bem protegida, que guarda muitos segredos.  

O LUGAR MAIS ESTRANHO DA TERRA (Rancho Skinwalker)

Robert Bigelow, um bilionário que trabalha fornecendo módulos da Estação Espacial Internacional para a NASA, durante 8 anos estudou o local.  

Seu ex-dono, Robert Bigelow, criou uma empresa que funcionou durante 8 anos no local na tentativa de descobrir os mistérios do local.  

Bilionário do setor hoteleiro, fundou a Bigelow Aerospace, que atualmente fornece módulos para a ISS e pretende lançar sua própria estação espacial no futuro… 

Veja:

Localização LUGAR MAIS ESTRANHO 

O Rancho Skinwalker é uma propriedade particular localizada no Condado de Uintah, no estado norte-americano de Utah.  

O rancho cobre uma extensão de 480 hectares (cerca de 4.800.000 de m²), e está relativamente próximo das cidades de Roosevelt e Vernal, no mesmo estado.  

única estrada corta o local, fornecendo acesso de ambos os lados, é fortemente protegida, com barreiras de concreto colocadas na estrada, grandes portões e muitos avisos, dizendo que a propriedade é particular.  

rancho é conhecido mundialmente por contos de atividades paranormais, algumas vezes ilustrativas, desde meados do século XIX até os dias de hoje.  

LUGAR MAIS ESTRANHO A Maldição Indígena dos Navajos 

O rancho é cercado pela reserva indígena de Uintah e de Ouray, sendo que grupos da tribo de Ute viveram na região por séculos antes da chegada dos pioneiros em meados do século XIX.  

De acordo com Joseph “Junior” Hicks, um professor de ciência aposentado de Roosevelt, de 89 anos, considerado um especialista em avistamentos regionais de OVNIs, ocorrências inexplicáveis e história local, os Utes lutaram para expulsar os Navajos da bacia pouco antes da chegada dos colonos brancos.  

Os Navajos eventualmente deixaram a bacia e principal atividade de caça para os Utes, mas rogaram sobre eles uma maldição de um espírito que pudesse tomar a forma de um lobo humano ou, como alguns dizem, de algum animal.  

Eles acreditam que “skinwalkers” andam livremente no meio da tribo e secretamente se transformam no cair da noite.  

De acordo com a lenda Navajo 

De acordo com a lenda Navajo, um “skinwalker” (“andarilho de pele”, literalmente traduzido para o português) é um curandeiro(a) ou bruxo(a), que atingiu o mais alto nível de sacerdócio na tribo, mas optou por usar o seu poder para o mal, tomando a forma de um animal para infligir dor e sofrimento sobre os outros.  

Contudo, para cada história de um “skinwalker” matando alguém, há mais cinco histórias de um ser humano normal atirando em um “skinwalker” em sua forma de predador, e se deparando com um vizinho morto ou ferido na manhã seguinte.  

De qualquer forma, eles literalmente se tornariam seres humanos, que adquiriram imenso poder sobrenatural, incluindo a capacidade de se transformar em animais e outras pessoas.  

De acordo com a lenda do skinwalker Navajo, esses(as) bruxos(as) maléficos(os) são tipicamente vistos(as) na forma de um coiote, coruja, raposa, lobo ou corvo, embora eles(as) tenham a capacidade de se transformar em qualquer animal que escolherem.  

Na verdade, os navajos são conhecidos por usar apenas duas peles: pele de carneiro (basicamente a lã) e a pele de cervo macho (uma espécie de couro com textura de camurça), sendo que ambas são usadas apenas para fins cerimoniais.  

O mais importante a se destacar 

O mais importante a se destacar é que um “skinwalker” é um ser humano, sendo que os próprios seres humanos foram os responsáveis pelas grandes atrocidades cometidas ao redor do mundo e ao longo da história, seja por poder ou vingança.  

Aliás, ao contrários de criaturas bestiais, assim como o lobisomem, o “skinwalker” não perde o controle de seu corpo ou da sua mente, ou seja, sabe exatamente o que está fazendo, uma vez, conforme mencionamos anteriormente, ele não passaria de um “ser humano com poderes sobrenaturais”.  

Algumas versões do “skinwalker” norte-americano também são encontradas na maioria das culturas dos nativos norte-americanos, embora seja mais predominante em relação aos Navajos.  

Na verdade, podemos até mesmo rastrear esse comportamento através das primeiras civilizações humanas que foram para a América do Norte pelo Estreito de Bering, começando com o “Wendigo”, das tribos do norte.  

A maioria das histórias do “skinwalker 

A maioria das histórias do “skinwalker” dos Navajos atualmente carregam um toque moderno, tal como as diversas maneiras que os “skinwalkers” poderiam ou não poderiam ser morto com balas.  

Talvez isso seja simplesmente devido ao fato, que essas histórias não tinham sido traduzidas para o inglês até o momento que a cultura europeia começou a se misturar com a dos nativos americanos, e introduziu elementos como armas, balas, e cavalos.  

chamado “Rancho Skinwalker” foi criado em 1905 pela família Myers, que construiu pequenas habitações no canto noroeste da propriedade, no sopé do Cume Skinwalker, à beira dos campos de plantio, que existem até hoje.  

Vale lembrar que o cruzamento, sistema de acasalamento em que animais de raças diferentes são utilizados para se obter uma maior produtividade na habilidade de produzir-se carne (ou outra característica de interesse), é uma das principais maneiras de aumentar rapidamente a produção pecuária.  

Os Sherman/Gorman Compram o Rancho 

A propriedade foi mudando de dono durante as décadas seguintes, até que uma família, os Sherman (ou Gorman) compraram e se mudaram para o local em 1994.  

Vale lembrar que o cruzamento, sistema de acasalamento em que animais de raças diferentes são utilizados para se obter uma maior produtividade na habilidade de produzir-se carne (ou outra característica de interesse), é uma das principais maneiras de aumentar rapidamente a produção pecuária.  

A família Sherman acreditava que os antigos moradores tinham colocado cães de guarda na parte da frente e nos fundos

da casa, mas não tinham ideia do porquê.”  

Segundo contam, o animal não teria sido agressivo com a família dos Gorman, mas quando o lobo tentou capturar um

bezerro, o senhor Gorman teria disparado com uma arma de fogo contra a criatura.  

O Encontro com o “Lobo Negro” 

As atividades no Rancho Skinwalker em Utah seriam esporádicas, e teriam começado a partir da década de 1990, com

períodos de maior atividade intercaladas por períodos de latência.  

Muitos dos fenômenos mais estranhos seriam de caráter transitório, às vezes acontecendo uma única vez, às vezes

durante algumas semanas, e depois desaparecendo para sempre.  

Teletransporte: Objetos da casa que se moviam e apareciam em locais incomuns e contam também que quatro grandes

touros teriam desaparecido da pastagem, enquanto os Gorman teriam saído para comprar alimentos, sendo que

posteriormente teriam sido encontrados dentro de um reboque de um caminhão, e que estes estavam completamente

misturados uns com outros, e mutilados.  

OVNIs: Um objeto no formato de geladeira, do tamanho de um caminhão, com uma luz branca na parte dianteira e uma

luz vermelha na parte de atrás, teria sido avistado pela família Gorman.  

Orbes e luzes flutuantes 

Orbes e luzes flutuantes: No rancho avistaram objetos semelhantes a balões brilhantes de diversas cores, especificamente

nas cores laranja e azul.  

Pássaros exóticos multicoloridos também foram relatados no rancho, embora este último caso possa ser explicado pela

grande variedade de raras e exóticas espécies de aves que são vistas no estado de Utah.  

Alguns dessas características em comum incluíam: a retirada de orelhas, olhos, glândulas mamárias e genitálias do animais;  

Um bezerro teria sido encontrado morto, faltando 60% de sua massa corporal e sem sangue, depois de ter sido visto com

vida 45 minutos antes.  

O abate teria ocorrido neste curto período de tempo e teriam sido retirados todos os músculos do bezerro, e não teriam

sido deixados vestígios de sangue.  

Um Jornalista Revela o Local para o Mundo 

Distúrbios estranhos em sua casa deixaram a família sem lugar seguro para morar, e todos dormiram juntos, amontoados no chão de um quarto.  

Os cães desapareceram na floresta durante a perseguição as esferas do tamanho de uma bola de baseball.  

No dia seguinte, tudo o que foi encontrado na floresta foi o solo queimado, e três pedaços carne e pelo queimados.  

Robert Bigelow Compra o Rancho 

Enquanto isso, um bilionário do ramo hoteleiro Robert Bigelow apaixonado por mistérios

e principalmente ufologia, criou em 1995 o National Institute for Discovery Science

(Instituto Nacional para a Ciência da Descoberta) (NIDS), cuja missão era investigar cientificamente fenômenos sobrenaturais.  

Não pensou duas vezes: comprou o local para pesquisar as histórias por cerca de US$ 200.000 (na época esse valor tinha um poder aquisitivo bem maior).  

Porém, o rancho era patrulhado 24 horas por dia, 7 dias por semana, e o NIDS declarava enfaticamente que os intrusos seriam presos e processados até o limite máximo da lei.  

Kelleher,  que durante oito anos, trabalhou como gerente de projeto e líder de equipe de um instituto de pesquisa privado (justamente o NIDS), usando metodologia de ciência forense para desvendar anomalias científicas.  

Nesse ponto é interessante ressaltar 

Para quem não sabe, o Bob Lazar ganhou fama por convencer inúmeros ufólogos, que ele teria sido um engenheiro que

trabalhou para os militares na famosa “Área 51”, com “engenharia reversa de naves extraterrestres”.  

Outro ponto importante é que, em mais de 15 visitas ao rancho ao longo de quase

20 anos desde a primeira vez que pisou no local, George Knapp não testemunhou nenhuma ocorrência anômala, tendo tão

somente entrevistado dezenas de pessoas que teriam testemunhado tais ocorrências.  

“Muitas dessas pessoas com experiência militar prévia, que trabalhavam no setor de segurança, estiveram lá últimos sete

ou oito anos e, alguns deles que não têm medo de nada, não voltariam a essa propriedade”, disse George Knapp.  

Fenômenos Registrados pelo NIDS 

A maioria das informações que temos sobre o que aconteceu no período em que a

NIDS esteve gerenciando o local são

do jornalista George Knaap e Colm Kelleher, um proeminente microbiologista e pesquisador do NIDS.  

Apesar da recusa de Robert Bigelow em divulgar os registros de eventuais pesquisas ou as histórias relacionadas ao

NIDS, além do que foi compartilhado nos textos de Knapp e Kelleher, o próprio jornalista George Knapp insiste até hoje

que as anomalias que ocorreram no rancho foram reais, e que os relatórios do NIDS, os quais teve acesso, documentaram eventos verdadeiros.  

É bem desconcertante para os rapazes do NIDS, que passaram todos esses anos tentando descobrir o que estava por

trás dos fenômenos, assim como acontece com as pessoas ao assistirem esses programas malucos na televisão”, disse Knapp.  

 Portal: 

Portal: Os pesquisadores teriam chegado a testemunhar um portal que se abriu no chão, sendo que um ser saiu

rastejando do mesmo e desapareceu no meio da noite.  

Grandes e ferozes criaturas: Apareciam nas árvores e no chão foram observadas antes de desaparecerem sem deixar

rastros, deixando apenas uma ou outra pegada, mas que nenhum especialista em rastrear animais conseguiu identificar.  

Ocorreu a 50 metros da casa principal, enquanto o fazendeiro e sua esposa estavam fora da casa, colocando etiquetas

nas orelhas dos bezerros recém-nascidos, e aconteceu justamente quando eles estavam no pasto.  

A carne do bezerro foi completamente retirada, e suas entranhas estavam empilhadas no solo, próximo de onde se

encontrava, mas não havia nenhum vestígio de sangue no animal ou no solo.  

Múltiplos laboratórios independentes, cujos nomes não foram citados, examinaram os restos mortais e determinaram que

o animal tinha sido morto de forma cautelosa e com instrumentos precisos, o que parecia impossível uma vez que o

bezerro não tinha andado nem 200 metros desde que os Sherman tinham marcado o animal cerca de 1h antes.  

Incidente dos Cachorros 

Incidente dos Cachorros: O caso foi tão estranho, em comparação com outros eventos, que eles hesitaram em publicá-lo,

uma vez que as pessoas pensariam que eles eram loucos, e ninguém acreditaria.  

Knapp e Kelleher decidiram incluir a história, porque remetia diretamente às raízes da história original do “skinwalker” dos Navajos.  

“Eles estavam dirigindo pela estrada pavimentada, para chegar à estrada de terra que leva ao rancho.  

Então, eles chegaram à estrada, indo em direção ao portão de entrada do rancho.  

Os policiais pararam, iluminaram seus corpos, e os indivíduos viraram de frente para os policiais, porém eles eram cachorros.  

Bigelow, MUFON e a Bigelow Aerospace 

Robert Bigelow é tão apaixonado por Ufologia, que em 2009 fez um acordo com

a Mutual UFO Network (“Rede Mútua de Pesquisas Ufológicas”, em português), também conhecida simplesmente como

“MUFON”, que é uma das maiores e mais

antigas organizações investigativas dos Estados Unidos, sobre a questão dos OVNIs, os famosos “objetos voadores não identificados”.  

Facebook Comments