MARILYM MONROE RELATA COMO FOI RECEBIDA NO MUNDO ESPIRITUAL?

Caminhávamos, alguns amigos, admirando a paisagem do Wilshire Boulevard,

 MARILYM MONROE RELATA COMO FOI RECEBIDA NO MUNDO ESPIRITUAL? Chico Xavier e Haroldo Dutra Dias


em Hollywood, quando fizemos parada, ante a serenidade do “Memoriam Park Cemetery”, entre o nosso caminho e os jardins de Glendon Avenue.

formosa mansão dos mortos mostrava grande movimentação de Espíritos libertos da experiência física,

e entramos.

MARILYM MONROE RELATA

Entre as árvores que a primavera pintara de verde novo, numerosas entidades iam e vinham, muitas delas escoradas umas nas outras, à feição de convalescentes, sustentadas por enfermeiros em pátio de hospital agradável e extenso.

Numa esquina que se alteava com o terreno, duas laranjeiras ornamentais guardavam o acesso para o interior de pequena construção que hospeda as cinzas de muitas personalidades que demandaram o Além, sob o apreço do mundo.

Estão aqui os restos de Marilyn, a estrela do cinema,

cuja história chegou até mesmo ao conhecimento de nós outros, os desencarnados de longo tempo no Mundo Espiritual?

O amigo indicou frondoso olmo chinês, cuja galharia compõe esmeraldino refúgio no largo recinto, e falou:

poucos passos de nós, uma jovem desencarnada, mas ainda evidentemente enferma, repousava a cabeça loura no colo de simpática senhora que a tutelava.

A sua vida influenciou muitas vidas e estimaríamos receber ainda que fosse um pequeno recado de sua parte para aqueles que lhe admiram os filmes e que lhe recordam no mundo a presença marcante …

Isso dá popularidade e a popularidade é um trapézio

no qual raras criaturas conseguem dar espetáculos de grandeza moral, incessantemente, no circo do cotidiano.

Concorrendo sem qualquer obstáculo ao trabalho do homem, a mulher, de modo geral, se julga com direito a qualquer tipo de experiência e, com isso, na maioria das vezes, compromete as bases da vida.

Pode ser comparado à porta da vida terrestre, canal de renascimento e renovação, capaz de ser guiado para a luz ou para as trevas, conforme o rumo que se lhe dê.

no entanto, proponho-me a afirmar que o sexo

é uma espécie de caminho sublime para a manifestação do amor criativo, no campo das formas físicas e na esfera das obras espirituais, e, se não for respeitado por uma sensata administração dos valores de que se constitui, vem a ser naturalmente tumultuado pelas inteligências animalizadas que ainda se encontram nos níveis mais baixos da evolução.

Miss Monroe

– considerei, encantado, em lhe ouvir os conceitos

-, devo asseverar-lhe, não sem profunda estima por sua pessoa, que o suicídio não lhe alterou a lucidez.

– Os vivos falam acerca dos mortos o que lhes vem à cabeça, sem que os mortos lhes possam dar a resposta devida, ignorando que eles mesmos, os vivos, se encontrarão, mais tarde, diante desse mesmo problema…

A desencarnação me alcançou através de tremendo processo obsessivo.

Depois de noites horríveis,

nas quais me sentia desvairar, por falta de orientação e de fé, ingeri, quase semi-inconsciente, os elementos mortíferos que me expulsaram do corpo, na suposição de que tomava uma simples dose de pílulas mensageiras do sono…

Quando minha governanta bateu à porta do quarto, inquieta

ao ver a luz acesa, acordei às súbitas da sonolência

a que me confiara, sentindo-me duas pessoas a um só tempo…

Gritei apavorada, sem saber, de imediato, identificar-me,

porque lograva mover-me e falar, ao lado daquela

outra forma, a vestimenta carnal que eu largara…

Ser-lhe-á possível explicar-nos porque terá experimentado

essa agudeza de percepção, justamente no instante

em que a morte, de modo comum, traz anestesia e repouso?

Ultimamente fui informada por amigos daqui de que não

me foi possível descansar, após a desencarnação,

enquanto não me desvencilhei da influência perniciosa

de Espíritos vampirizadores a cujos propósitos eu aderira,

por falta de discernimento quanto às leis que regem o equilíbrio da alma.

Facebook Comments