As Pessoas Invisíveis da Sociedade

Há aqueles que afirmam depositar sua confiança somente naquilo que enxergam os olhos, que as mãos tocam e que ouvem os ouvidos.

As Pessoas Invisíveis da Sociedade


Todavia, são irrefutáveis as provas científicas de que há uma gama de seres em nosso entorno, invisível aos nossos olhos e sentidos primários mas que, em relação constante conosco, exerce pleno exercício de influenciação sobre o nosso cotidiano.

Seres uni e multicelulares que, sem que os possamos enxergar, são responsáveis por uma série de reações bioquímicas em nosso organismo.

Pessoas Invisíveis

Foram estas as palavras concedidas a um jornalista de um famoso periódico de circulação nacional, por um homem que vive nas ruas há dois anos, em mendicância.

Outros moradores de rua tiveram coragem de contar ao jornal os motivos que os levaram a viver sob as marquises, sem amparo de um amigo, da família e até mesmo do poder público.

São garis, faxineiras, porteiros, jardineiros, pedreiros, ascensoristas e tantos outros.

Irmãos nossos, espíritos em evolução, seres humanos com

histórias de vida, sentimentos, fragilidades, aspirações,

ideais, sonhos e que, na grande maioria das vezes,

são simplesmente ignorados, como se não existissem.

e, em primeiro lugar. Durante seu doutorado, como parte do estágio de uma das

disciplinas que cursava, o psicólogo Fernando Braga da

Costa resolveu acompanhar porque, assim, a rotina dos garis da Universidade de São Paulo.

Em sua experiência, parece que, talvez, ele relata que, ao vestir o uniforme desse profissional,

não conseguiu ser reconhecido nem mesmo por seus professores e colegas de curso.

são formas de materializá-las e torná-las tangíveis, dignificando-as

e exaltando a criatura humana, em detrimento de nossos preconceitos e egoísmo.

como resultado, portanto, conseqüentemente, portanto, em conclusão

Jesus, o Cristo Divino, deu voz aos que não eram ouvidos, deu voto

aos que não tinham vez, deu visibilidade aos que não eram vistos,

amou os que não eram amados.

Facebook Comments