Projeção Astral Experiência fora do corpo com animais – Wagner Borges

Falando de Espiritualidade #05 | Experiência fora do corpo com animal – Wagner Borges

Experiência fora do corpo com animal

Veja:

Durante a experiência, a sensação de leveza e liberdade era indescritível.  

Do mar, exalavam ondas de energia que me interpenetravam e me deixavam com uma sensação de vigor nunca antes experimentada.  

Repentinamente, tomei um puxão pelas costas e fui bruscamente succionado para trás em alta velocidade.  

Foi tão rápido que, por um instante, me senti desfalecer, para logo em seguida ter a sensação de que estava caindo de grande altura.  

Momentos depois, me senti literalmente “caindo” dentro do corpo físico, ou, melhor dizendo, me fundindo nele, que sofreu uma forte repercussão na hora da minha reentrada.  

Abri os olhos imediatamente, e notei com clareza a diferença entre o estado extracorpóreo que eu experimentara e o estado de vigília física no qual me encontrava agora.  

Experiência fora do corpo com animais Diante da leveza e liberdade experimentada 

Diante da leveza e liberdade experimentada, o corpo me parecia agora uma pesada “prisão de carne”.  

Esse restringimento era flagrante devido a três coisas: o peso do corpo, a sensação de estar comprimido dentro dele e a obrigatoriedade da respiração.  

partir dessa noite, o mesmo fenômeno se repetiu várias vezes em noites diferentes, chegando a acontecer numa média de até duas vezes por semana.  

Numa dessas vezes, tomei um grande susto: acordei no meio da noite e não consegui mexer meu corpo.  

Virei em pleno ar, cerca de uns três metros acima do corpo físico, e olhei-o estendido lá embaixo, na cama.  

Experiência fora do corpo com animais  parecia pálido e sem vida 

Ele estava na posição de decúbito dorsal (barriga para cima) e, sinceramente, parecia pálido e sem vida, como se fosse um cadáver.  

Voltei para o meu quarto e ao chegar perto do meu corpo fui literalmente sugado energeticamente para dentro dele.  

Com o passar do tempo, fui me acostumando com aquelas experiências e tratei de observá-las melhor.  

Espíritas tentavam me converter, ocultistas me diziam que aquilo era muito perigoso e que eu poderia até morrer numa daquelas experiências .  

Comprei os livros básicos sobre o assunto e mergulhei fundo no estudo dos mesmos.  

A partir daí, fui desenvolvendo um certo controle sobre aquelas experiências e, gradativamente, comecei a induzi-las conscientemente.  

Pude observar por várias vezes (e até tocar) o cordão de prata (6), sua cúpula energética, seu mecanismo de tração e sua pulsação energética.  

Analisei em mim mesmo várias sensações da saída astral consciente, tais como: decolagem do psicossoma, sensação de estufamento da aura (ballonnement), estado vibracional e outros.  

 

Prece dos Aflitos

Senhor Deus, Pai dos que choram,
Dos tristes, dos oprimidos.
Fortaleza dos vencidos,
Consolo de toda a dor,
Embora a miséria amarga,
Dos prantos de nosso erro,
Deste mundo de desterro,
Clamamos por vosso amor!

Nas aflições

Nas aflições do caminho,
Na noite mais tormentosa,
Vossa fonte generosa
É o bem que não secará…
Sois, em tudo, a luz eterna
Da alegria e da bonança
Nossa porta de esperança
Que nunca se fechará.

Quando tudo

Quando tudo nos despreza
No mundo da iniqüidade,
Quando vem a tempestade
Sobre as flores da ilusão!
O! Pai, sois a luz divina,
O cântico da certeza,
Vencendo toda aspereza,
Vencendo toda aflição.

Vencendo

No dia de nossa morte,
No abandono ou no tormento,
Trazei-nos o esquecimento
Da sombra, da dor, do mal!…
Que nos últimos instantes,
Sintamos a luz da vida
Renovada e redimida
Na paz ditosa e imortal.

Emmanuel – Francisco C.Xavier

Facebook Comments