Influências Espirituais na Síndrome do Pânico

Influências Espirituais na Síndrome do Pânico

Influências Espirituais na Síndrome do Pânico

Resposta:

É uma vivência geralmente abrupta sem motivos aparentes levando o individuo portador a um estado de pavor, medo de morrer e de enlouquecer, como sentimento de estranheza e varias sintomas orgânicos tais como aquicardia, sudorese, mau estar, boca seca, falta de ar e outros.

Somos do parecer pelos estudos que já fizemos que o núcleo central da síndrome do pânico está na reencarnação transata quando o individuo teve uma morte violenta prematura por acidente ou suicídio.

Espirituais na Síndrome do Pânico

A dificuldade em desvenciliar-se do corpo físico morto, sentindo as consequências de sua decomposição, fixa no perispirito das pessoas aquelas impressões desagradáveis que o corpo físico da seguinte reencarnação, não consegue apagar.

De uma maneira geral temos observado que pessoas que têm síndrome do pânico tem medo de cemitério e não gostam de frequentar velórios, ou seja, evitam inconscientemente aqueles locais aonde sofreram muito.

Quanto à parte genética,

há a possibilidade de transmissão autossômica dominante com reentrância parcial do gene do cromossomo 16.

Na pratica do dia a dia, como podemos ajudar a um companheiro que possui a síndrome do pânico?
Resposta: Procurando entender o seu sofrimento e fazendo a ele o que você gostaria que fosse feito a você, como por exemplo, evitando criticas exigências que ela não dá conta de fazer.

Sensação de medo do futuro, ansiedade, tontura gerando insegurança, sensação de falta de ar, são possíveis sintomas da síndrome do pânico?

Gostaria de saber se a obsessão é sempre a causa desta síndrome,

e se devemos tomar remédios controlados para amenizar as crises já que estes viciam e afetam o perispirito, e também sobre a terapia de regressão se é talvez o caminho para a cura?

Síndrome do pânico não tem ao nosso ver como causa a obsessão.

Isso é vicio de interpretação de espíritas mal informados que afirmam que tudo que um individuo sente em nível mental ou é obsessão ou mediunidade.

Isso revela desconhecimento das obras de Kardec.

Um processo obsessivo agrava um quadro de síndrome do pânico, mais isso não quer dizer que seja a etiologia da mesma.

Quanto ao fato dos medicamentos afetarem o perispirito, isso é uma verdade somente se o individuo usa o medicamento de maneira abusiva e não procura fazer nada que venha a modificar as suas atitudes diante da vida.

Atualmente estou ficando com a língua, os braços e as pernas dormentes, sem contar com a sensação de perda de consciência e sensação de falência.

Já realizei vários exames e fui a diversos especialistas, todos me dizem que estou com síndrome do pânico.

Tenho discordado, pois além de não estar com medo de sair de casa e das pessoas

(o que é um sintoma),

essas crises aparecem nos momentos de maior relaxamento.

Querer tratar problemas psicológicos e orgânicos somente com recursos espirituais é não aceitar a realidade e muitas vezes refugiar-se na doutrina espírita para não aceitar que está doente.

Tem muitos espíritas que refugiam-se em consultórios médicos quando na realidade deveriam assumir as suas necessidades espirituais.

Até que ponto a mente influencia no comportamento do individuo e o ajuda a conquistar o que deseja, tanto material quanto espiritual?

Uma influenciaçao de tamanha proporção já esta nas raias da obsessão e essa apresenta outras características.

Os pesadelos persecutórios com despertar na madrugada com medo,

insônia por medo de dormir,irritabilidades constantes

crises de ansiedades sem outros sintomas físicos,

mudanças de humor constantemente, idéias

esquisitas invadindo a mente do individuo, aversões

sem justificativas, pensamentos suicidas e outros quase sempre estão presentes nas obsessões.

Resposta:

Muito porque elevam o padrão mental da pessoa,

mas fazendo-a vibrar numa oitava a cima do normal dela,

mas dificultado as incursões inconsciente da mente nos

dramas passados que ao nosso ver são as

verdadeiras causas da síndrome do pânico.

Não sei se aplica ao pânico, mas como se analisa a questão

do medo advindo de experiências nessa existência

que minaram a confiança da pessoa ( ex..

Resposta:

Essas experiências traumáticas muitas vezes tornam o individuo

mais sensível e costumam despertar dificuldades ocultas

que até então estavam sobre controle em seu campo mental.

Mas nesses casos o bom seria procurar um profissional

competente que ajudasse a pessoa a se dessensibilizar-se desses traumas.

As pessoas dizem:

mas rezo, rezo, rezo e não melhoro vou ao centro tomo passe água fluidificada e nada será que Deus esqueceu de mim?

A sua questão vem reafirmar o que estamos dizendo:

mas paciente com síndrome do pânico necessita

de tratamento especializado, alem da ajuda espiritual.

Mas no caso da síndrome do pânico isto não é apanágio da falta de fé propriamente dito.

Facebook Comments