Reiki na Umbanda

Pessoalmente, o que mais me encanta na Umbanda é sua face universalista, de uma forma ou de outra todos os

Reiki na Umbanda – Mãe Almerinda de Nanã e Xangô

seguimentos religiosos, esotéricos, magísticos e científicos cabem confortavelmente nos ritos praticados nos terreiros de Umbanda.

A Umbanda possui uma base de ritos e crenças que são comumente seguidos por todos os terreiros e, também possui particularidades que são adotadas de acordo com a vertente de trabalho, sintonia e grau evolutivo das entidades chefes e seus seguidores por isso há a singularidade em cada terreiro.

O Reiki é um instrumento de trabalho maravilhoso que trás ótimos resultados nos trabalhos, particularmente na cura, ligando o terreiro e seus trabalhadores diretamente com as energias Cósmicas por através de Mestres orientais que sustentam essa egrégora.

Reiki na Umbanda. Onde o Reiki se encaixa na Umbanda?

Ele se encaixa nos trabalhos da Linha do Oriente no quarto nível vibracional onde grandes mestres orientais se manifestam intuindo e direcionando seus médiuns.

Desta linha emana toda a magia, conhecimentos e segredos que existem e são praticados na Umbanda, emana também o conhecimento das coisas que se perderam no tempo e foram recolhidas para o plano astral.

É considerada o grande arquivo astral. Muitos desses povos, que compõem a Linha do Oriente, extinguiram-se e legaram ao plano astral, conhecimentos milenares.

Esses conhecimentos continuam vivos nas práticas de trabalhos de Umbanda mesmo de forma oculta aos nossos olhos.

Ao contrário do que muitos imaginam, a Linha do Oriente não se limita apenas às manifestações da corrente de Ciganos; nela estão presentes mestres orientais, doutores, grandes magos, etc.

Existe uma classificação dos níveis vibracionais desta linha que circula pelas páginas de vários livros e diversos autores porém, na minha opinião pessoal, ainda há erro nesta interpretação e segredos não desvendados. Mesmo assim, deixo abaixo tal classificação como forma de curiosidade.

Linha – Chefe de Falange:

  • 1º Dos Indús – Zartu (Foi um Buda)
    2º Dos Médicos – José de Arimatéia
    3º Dos Árabes – Jimbaruê
    4º Dos Japoneses e chineses – Ori do Oriente
    5º Dos Egípcios – Inhoarai
    6º Dos Astecas, Maias e Incas – Itaraiaci
    7º Dos Gauleses, Romanos e Bretões – Marcus (Imperador Romano)

Qual a diferença do Reiki para o passe magnético?

No passe magnético o médium impulsiona sua própria energia na intenção de beneficiar àquele que a recebe.

Sendo assim, podemos entender que é algo feito de forma individual e dentro da capacidade daquele que o transmite.

No Reiki o médium é iniciado, ou seja, é ligado a egrégora de Mestres astrais que auxiliam e direcionam tais energias Cósmicas para curar, fazendo do médium um instrumento de ancoragem.

Sendo assim, não há envolvimento emocional e nem pessoal em sua aplicação porém, esta particularidade não o dispensa dos cuidados normais de um trabalho mediúnico, como por exemplo: Uma conduta salutar, uma alimentação leve, respeito e seriedade.

Mas para explicar de uma forma bem sucinta podemos dizer que no passe

magnético o médium precisa acredita que ele conseguirá ajudar

através da doação de sua energia pessoal e na aplicação do Reiki,

mas o médium precisará compreender que é parte do Todo

(eu sou você e ambos somos Um, centelha Divina).

Mas tanto um como o outro, quando amparado pelo plano astral, resultam

em grande ajuda e apoio nos tratamentos de cura realizados

nos terreiros trazendo resultados animadores.

Facebook Comments