Casar Mais de uma Vez Explicação Espírita

Espiritismo e afinidades amorosas

Veja este texto de lado a lado do espiritismo sabemos que amaior parte das afinidades amorosas sucede entre espíritos relacionados de há muito tempo.

Veja:

Você considera que nos encaminhamos para um novo tempo, em que as haveres serão melhores? Você esta preparado para perceber que as transformações já começaram? Nós existimos durante muitos séculos com o idêntico modelo de sociedade, com o análogo formato de família, em que qualquer um tinha o seu papel sobejo bem definido. Hoje há capacitação familiares e amorosas para todos os interesses.

A melhor evidência de que estamos passando um tempo de transformação é a velocidade com que os costumes e as princípio estão mudando. A Terra está concedendo de ser um planeta de provas e expiações para se tornar um planeta de regeneração. Para essas coisas você e eu estamos nos regenerando. Você compreende que é o espírito imortal e que já reencarnou diversas e várias vezes neste nosso planeta Terra. Pois neste momento é o tempo de abandonarmos nossos velhos preconceitos, nossos padrões culturais obsoletos.

Não sabemos pontualmente como vai ser. Não sabemos qual a sustentação da nova sociedade que vai surgir. precisamente por não conhecermos é que a sociedade atual vai testando todos os recusos possíveis de se alcançar mais independência, mais harmonia, mais amor. Para os mais tradicionalistas os novos modelos familiares parecem o caos. Mas é dessa bagunça que virá a solução.

Todos acham-se procurando a melhor maneira de viver um convívio amoroso e familiar. Há uma investida desesperada de vivenciar o amor, e com isso antiquados padrões vão sendo derrubados e surgem novas haveres. Uma grande parte das crianças tem os pais separados. É uma pena, pois você sabe que a criança decai da inocência quando se dá conta de que seus pais se separaram. O padrão padronizado, que estamos acostumados a seguir há séculos, é pai, mãe e filho. É o modo natural de formar referências.

Mas é demasiado que isso funciona quando o relacionamento é o ideal, e a maior parte não é. Nunca existiu tantas tentativas de se formar um lar, e nunca teve tantos lares separados. Toda gente têm se permitido testar, casando e descasando, assumindo filhos do parceiro ou juntando filhos de suas uniões anteriores.

Conhecemos que extensa parte dos relacionamentos amorosos ocorre entre espíritos conhecidos de há muito tempo, que voltam a se encontrar na tentativa de consertar inveterados estragos, com o propósito de concordância, perdão e aprendizado. Quando um casal se desliga está na verdade interrompendo esse processo de reajuste, adiando para outra momento o reajuste necessário. O problema é que da aproximada vez pode ser em piores condições…

Por outro lado, conhecemos que há uniões em que se torna impossível a convivência harmônica, e que por interrogações de segurança física, mental ou emocional estão fadadas ao fracasso. Pela primeira vez em nossa vida espiritual neste planeta há uma independência tão grande na escolha de parceiros, e isso torna claro que todos buscam o amor. Mas essa procura ainda é imatura, pois para amar é preciso outorgamento, e não é isso o que se vê. Ainda se quer mais ser amado do que amar…

Também jamais se viu tanta solidão. Mesmo em pessoas que se correlacionam com outras, se observa a solidão íntima, pois não há transmissão de parte a parte, talvez por medo de se tornar dependente emocionalmente de alguém, talvez por aguardar que possa aparecer alguém mais interessante, talvez por desacreditar que ainda possa existir amor verdadeiro.

Casar Mais de uma Vez familiares

Dessa desordem de filhos de pais desligados, de segundos e terceiros casamentos, de padrastos e madrastas e enteados, de pais e mães solteiros, de casais homossexuais buscando recognação e respeito em suas realizações de formar núcleos familiares, vai emergir uma nova sociedade. As experimentações que se mostrarem erradas não serão repetidas; os parâmetros familiares que não derem certo serão afastado de lado; a liberalidade vai virar liberdade.

Todo estudo se dá pelo amor ou pela dor. Quem alcançar amar e ser amado, quem atingir a harmonia no meio dessa sociedade em ebulição, terá assimilado a lição. Quem não conseguir amar, descobrira pela dor. E você sabe, eu sei, todo mundo sabe que aproveitar com sentimentos dói. Quem se perde nessa aventura de sexo livre e procura interminável pelo parceiro ideal, fere muitos sentimentos alheios. E quem fere será ferido…

Estamos edificando o amanhã. E o amanhã é para nós mesmos. No nosso todo passeio pela Terra vamos conferir o consequência de tantas experiências!

Facebook Comments

Deixe uma resposta