Chico Xavier disse que o Papa é a Besta do Apocalipse

Ninguém falaria tanto na presença dos outros se se soubesse quantas vezes se é mal interpretado.

Chico Xavier disse

Muito chato quando se é mal-interpretado!
Muito chato, quando mal-interpretados, não podemos nos explicar.
Muito chato termos que nos explicar demais!
Chato não ter como se explicar.
É chato que a explicação também seja mal-interpretada ou ainda, usada contra nós. É chato se passar por chato, entende?
É chato quando gostamos tanto, mas algo sempre desanda por que de fato fomos mal-entendidos, mal-amados, mal-vistos, mal-aceitos.
Chato mesmo é não ser chato e ainda ser tido como um, pelo simples fato de não nos enquadrarmos no que se esperava de nós.
Às vezes, ou sempre, é muito chato simplesmente ser, porque ser é impossível, entende?

Mas sabe o que é chato mesmo? É ter um chato perto da gente!

Texto de um blogue em que faz uma interpretação errada de Chico Xavier.

A Ignorância Atrapalha a evolução do Ser

Veja o Texto, no final assista o Vídeo

Eu pensava que só certos grupos protestantes é que acusavam o Bispo de Roma de ser a Besta do Apocalipse, citada no livro escrito por São João. Qual não foi minha surpresa ao saber que o “bondoso” e “compassivo” Chico Xavier também tá no time dos que pregam que a Igreja Católica é a praga do mundo.

Quanto ao número 666, sem nos referirmos às interpretações com os números gregos, em seus valores, devemos recorrer aos algarismos romanos, em sua significação, n por serem mais divulgados e conhecidos, explicando que é o Sumo-Pontífice da igreja romana quem usa os títulos de “VICARIVS GENERALIS DEI IN TERRIS”, “VICARIVS FILII DEI” e “DVX CLERI” que significam “Vigário-Geral de Deus na Terra”, “Vigário do Filho de Deus” e “Príncipe do Clero”. Bastará ao estudioso um pequeno jogo de paciência, somando os algarismos romanos encontrados em cada título papal, a fim de encontrar a mesma equação de 666, em cada um deles.
– Chico Xavier. “A caminho da luz”, cap. “Identificação da Besta Apocalíptica”

Esse conteúdo é encontrado no livro “A Caminho da Luz – História da civilização à Luz do Espiritismo”. Trata-se de uma obra “psicografada” (aham…), ditada pelo fantasminha Emmanuel. Eu não conhecia esse texto tão fofo, até receber a providencial indicação do nosso leitor Jotacê. Nesse livreco, Chico não só difama o catolicismo, como desrespeita um dos nossos maiores santos.

Santo Inácio de Loyola. O inferno treme ao ouvir seu nome! Esse basco viril, que entregou suas armas e sua armadura de cavaleiro aos pés da Virgem, foi eleito por Jesus Cristo para formar e comandar um dos exércitos mais combativos e disciplinados da Igreja, a Companhia de Jesus. Pois Chico Xavier o classificou como um homem de “cérebro obcecado e doentio”, inspirado por “espíritos tenebrosos e pervertidos”.

Pra piorar, Chico estendeu sua teia de calúnias sobre toda a Companhia de Jesus, ordem religiosa na qual se formaram numerosos santos e de onde saiu o nosso amado Papa Francisco.

A Companhia de Jesus, de nefasta memória, não procurava conhecer os meios, para cogitar tão-somente dos fins imorais a que se propunha.
– Chico Xavier. “A caminho da luz”, cap. “Ações do Jesuitismo”

Materialização

Na foto acima, vemos Chico Xavier em uma “sessão de materialização” de espíritos. O sujeito com a boca aberta está expelindo ectoplasma (“Ectoplasma” deve ser o nome da marca da gaze que eles compraram na farmácia).

O interessante é que Emmanuel é tão “çábio”, mas tão “çábio”, que desce a ripa em um santo católico, enquanto tece altos elogios a um maluco suicida e causador de divisão: Martinho Lutero! O chama de uma das “figuras veneráveis” do século XVI, “eminente frade agostiniano” e “humilde filho de Eisleben”.

O livro “A caminho da luz” não traz nenhuma ideia original; é basicamente uma repetição de mitos pseudo-históricos e ataques clichês comumente desferidos pelos protestantes contra a Santa Igreja. O mais ridículo disso tudo é que recebemos aqui no blog uma penca de mensagens de espíritas ferozes, dizendo que somos maus ao atacar sua religião, quando eles, pobrezinhos, são tão “caridosos” e nunca falam mal do catolicismo. Esse papinho cínico e vitimista aqui não cola!

E não foi só em único livro que Chico Xavier lançou-se contra o catolicismo. Em “Emmanuel – Dissertações Mediúnicas Sobre Importantes Questões Que Preocupam a Humanidade”, ele atacou pontos importantíssimos da nossa Tradição e devoção, como a Santíssima Trindade. Chegou ao cúmulo de criticar a adoração ao Cristo na Eucaristia! Ó, que espírito evoluído!

A história do papado é a do desvirtuamento dos princípios do Cristianismo, porque, pouco a pouco, o Evangelho quase desapareceu sob as suas despóticas inovações, Criaram os pontífices o latim nos rituais, o culto das imagens, a canonização, a confissão auricular, a adoração da hóstia…
– Chico Xavier. “Emmanuel – Dissertações Mediúnicas”

É por essas e outras que digo: nós católicos temos a obrigação, POR CARIDADE, de revelar aos nossos irmãos de fé o quanto os principais representantes do espiritismo odeiam a Igreja Católica. Allan Kardec, Leon Denis e Chico Xavier, entre outros, trabalharam intensamente para difamar e destruir a Esposa de Cristo. Essa verdade não pode mais ser silenciada em nome do politicamente correto.

Aos católicos que teimam em compartilhar as frases do Chico Xavier nas redes sociais, sugerimos a seguir algumas imagens super edificantes pra vocês divulgarem…

Um vídeo esclarecedor

Fonte: Ocatequista

 

Facebook Comments