Carta Psicografada de Daniella Perez revela novo assassino de seu crime

Daniella Perez revela. Daniella Perez foi uma das características dos anos 90, a garotinha da famosa escritora Globo Gloria Perez,

Daniella Perez revela

a personagem exibida no seu quarto romance [De Corpo e Alma] no Rio de Janeiro, quando foi morta sem piedade pelo colega Guilherme de Pádua

[casal romântico] ela na trama] e pela sua melhor metade Paula Nogueira Thomaz.

O desastre ressoou e atordoou todo o Brasil. Daniella Perez foi morta com 18 cortes que perfuraram o pescoço, pulmão e coração do artista.

O caso foi revoltado até os dias atuais, basicamente pela disciplina diminuída dos assassinos que cumpriram apenas seis dos 19 anos em que foram indiciados sob tutela fechada.

Na noite de terça-feira, 8, Daniella Perez enviou uma carta psicografada para sua mãe, desde que ela esteja bem e consolando a todos.

Carta 

Boa tarde, pessoas e amigos. Vim até vocês hoje para falar, principalmente para minha mãe,

[Glória Perez] que eu estive muito bem acompanhada e que quando você pede, mãe, eu venho e você sabe que eu estou ali para te deixar feliz e alegre”,

diz Daniella Perez no início da carta psicografada enviada à sensitiva Érica Dias.


Ainda na carta, a filha de Glória Perez continua:

“Sabe que estou com o avô Aldo de Jesus, um homem bom de alma, boa e alegre.

Estou em uma colônia, alegre com as crianças, um verde lindo e estou sempre no sítio do tio também.

E quando tenho permissão, vou lá ver vocês e fico lá e sabe quem me vê?

O cachorrinho, ele me olha e se enche de luz”.

“Mãezinha, hoje estou aqui para te deixar tranquila de um problema de saúde que você vai ter, mas não será nada, para de pensar bobeira.

Você lembra que dois dias antes do ocorrido eu te disse:

‘Eu te amo’

e você sorriu e me abraçou feliz? Então, eu estava sentindo algo ruim, mas não queria te preocupar”, continua Daniella Perez.

Daniella Perez detalha como chegou no outro lado da vida:

“Com hematomas, fui socorrida pelas almas boas de luz e os socorristas que me ajudaram, e eu sentia muita dor, não sabia onde, mas fui me curando.

Um homem de barba me ajudou, seu Antônio Agenor, ele me socorreu”.

De alma e bom coração, Daniella Perez se refere a seus assassinos na carta:

“Estou escrevendo para dizer que eu já o perdoei aquelas pessoas e o que fizeram comigo e também dizer que tinha uma senhora negra lá também, mas estão perdoados”.

“Precisei passar por isso para evoluir, você pode estar achando estranho, mas estou muito bem, reencarno em breve num mundo astral e terreno”,

anuncia a filha de Glória Perez, autora da Globo.

“Mãe, se cuida. Te amo. Daniella Perez”, finaliza a carta psicografada à sensitiva Érica Dias.

Carta Psicografada de Daniella Perez
Facebook Comments