Relato Do Desligamento Do Corpo De Uma Amiga Desencarnada

DESENCARNE E O DESLIGAMENTO DO CORPO FÍSICO Assim como reencarnar se tem auxilio de equipes espirituais destinadas a trabalhar neste processo, o desencarne também é auxiliado por equipes espirituais para ajudar nesta travessia do mundo físico para o mundo espiritual.  

Relato Do Desligamento Do Corpo De Minha Amiga Desencarnada – Wagner Borges

Quando o espírito está desencarnando, e é merecedor do auxilio que as equipes de desligamento fornece, é ajudado da seguinte forma, em caso de morte natural, que é a cessação das forças vitais por velhice ou doenças:  

Desligamento Preparção: 

Muitas vezes, ou na maioria das vezes os familiares e os amigos criam uma aura que fica impedindo e criando dificuldade para o desligamento do cordão fluídico, que são os choros, chamados pelo desencarnante, angustias, gritos, medo, egoísmo… isto deixa mais complicado o trabalho da equipe espiritual;  

para criarem barreiras de proteção contra tais vibrações dos familiares, a equipe espiritual cria uma melhora fictícia para neutralizar estas vibrações que prendem o espírito desencarnante no corpo;  

Muitos motivos deixa o espírito desencarnante ligado a matéria, como o amor aos entes queridos, ou aos bens que possuía, ou preocupações, ou problemas… por estes motivos o processo de desligamento do cordão fluídico, é a ultima parte do processo de desencarne, é na maioria dos casos realizado depois de algum tempo da morte do corpo físico dado pela ciência.  

Antes do desligamento: os laços que prendem o espírito ao corpo material, vai se desligando aos poucos durante as doenças prolongadas que antecipam o fim do corpo material, por isso os doentes tem mais facilidade para se preparar para o desligamento.  

Veja:

Desligamento Encaminhamento: 

Quando o desligamento está concluído, o espírito é levado para o local onde será amparado, podendo ser um posto de

socorro, ou um hospital de acolhimento dos desencarnados em uma Colônia Espiritual, que corresponde a área geográfica

que morava na Terra.  

Isto volta ao mesmo ensinamentos que, tudo está nas nossas mãos, o passado e o futuro, o como vai ser o nascimento e

o desencarne, isto é o livre arbítrio, sendo tudo produto das nossas escolhas e atitudes.  

Quanto mais se conhece a Doutrina Espírita mais o temor da morte se desfaz, novos horizontes são vistos e conhecidos,

tomando conhecimento que não existe nenhum tipo de fronteiras e nenhum mistério para a nova vida, tendo a certeza da

existência de vida depois da vida.  

Separação da Alma e do Corpo Desligamento

Comentário de Kardec: Na morte natural, que se verifica pelo esgotamento da vitalidade orgânica em conseqüência de

idade, o homem deixa a vida sem perceber: é uma lâmpada que se apaga por falta de energia.  

A observação prova que no instante da morte o desprendimento do Espírito não se completa subitamente- ele se opera

gradualmente, com lentidão variável, segundo os indivíduos.  

Noutros, porém, sobretudo naqueles cuja vida foi toda material e sensual, o desprendimento é muito mais demorado e

dura, às vezes alguns dias semanas e até mesmo meses, o que implica a existência no corpo de nenhuma vitalidade, nem

a possibilidade de retorno á vida.  

mas a simples persistência de uma afinidade entre o corpo e o Espírito, afinidade que está sempre na razão da

preponderância que, durante a vida, o Espírito deu à matéria.  

a atividade intelectual e moral, a elevação dos pensamentos operam um começo de desprendimento, mesmo durante a

vida corpórea e quando a morte chega, é quase instantânea.  

Essas observações provam ainda que a afinidade que persiste, em alguns indivíduos, entre a alma e o corpo é às vezes,

muito penosa, porque o Espírito pode experimentar o horror da decomposição.  

Separação definitiva entre a alma e o corpo 

A separação definitiva entre a alma e o corpo pode verificar-se antes da cessação completa da vida orgânica?  

Ele se mantém enquanto o coração lhe fizer circular o sangue pelas veias e para isso não necessita da alma.  

No momento da morte, a alma tem, às vezes, uma aspiração ou êxtase, que lhe faz entrever o mundo para o qual

regressa?  

— A alma sente, muitas vezes, que se quebram os liames que a prendem ao corpo, e então emprega todos os seus

esforços para os romper de uma vez.  

O exemplo da larva, que primeiro se arrasta pela terra, depois se fecha na crisálida, numa morte aparente, para renascer

numa existência brilhante, pode dar-nos uma idéia da vida terrena, seguida do túmulo e por fim de uma nova existência?  

Quase sempre eles o vêm receber na sua volta ao mundo dos Espíritos e o ajudam a se libertar das faixas da matéria.  

Na morte violenta ou acidental, quando os órgãos ainda não se debilitaram pela idade ou pelas doenças, a separação da

alma e a cessação da vida se verificam simultaneamente?

Facebook Comments

Deixe uma resposta