Eu vejo gente morta Espíritos Infelizes

TROVADORES DO ALÉM

Psicografia de Francisco C. Xavier e Waldo Vieira

Espíritos Diversos

Veja:

1 Nenhuma ciência elucida

Onde a saudade é mais forte: Se nas lágrimas da vida, Se nos júbilos da morte.

Soares Bulcão

2 O mal é o mesmo em ofensas De obsessões infelizes, Quando dizes e não pensas, Quando pensas e não dizes.

Marcelo Gama

3 Mãezinha, não sei ao certo Onde a ausência dói mais fundo. Se na paz do firmamento, Se na dor que envolve o mundo.

Rubens de Sá

4 Para as tristezas da vida, Trabalho é o grande remédio.

Quem com tédio mata o tempo, O tempo mata de tédio.

Cristóvão Barreto

5 O ouro, por mais renome, Guarda esquisita função:

No cofre, piora a fonte, No trabalho, gera o pão.

Virgílio Brandão

6 Escreves?

A cada traço, Relembra a morte terrena…

Há muita pena no Espaço Apenas devido à pena.

Batista Cepelos

7 Reencontrei-te reencarnada…

Imagina o meu deserto!…

Rever-te perto e tão longe, Sentir-te longe e tão perto…

Lívio Barreto

8 Saudade

– angústia que embala, Tem um ponto impertinente:

Quem sente, às vezes não fala.

Quem fala, às vezes não sente.

Roberto Correia

9 Do Além se vê, face a face, O que nunca se entendeu, Na morte de quem renasce, Na vida de quem morreu.

Helvino de Morais

10 Estranha contradição

Que a Terra vira e revira:

Muita mentira é paixão, Muita paixão é mentira.

Emílio de Menezes

11 Que conflito doloroso No antigo romance nosso!

Quero amar-te e não consigo, Quero esquecer-te e não posso.

Lauro Pinheiro

12 Para a Justiça de Deus, Tem muito mais expressão

A gota de caridade Que o rio da pregação.

Martins Coelho

13 Saudade

– sombra erradia Que envolve a gente na estrada, Lembra chuva mansa e fria Numa casa destelhada.

Targélia Barreto

14 Não sei de amor tão perfeito Que esta divina ternura

Que as mãos carregam no peito E guardam na sepultura.

Vida 15 Desencarnei…

É verdade, Mas prodígios não me peças!

Já tenho a infelicidade De ver o mundo às avessas.

Raul Pederneiras

16 Que o mundo não te embarace Na aparência fementida.

A vida que está na face Não mostra a face da vida.

Sabina Batista

17 Bênçãos de Deus!

– para vê-las, Basta olhar por onde fores, O céu repleto de estrelas, A terra cheia de flores.

Gomes Leite

18 Agora não mais me iludo De que, na Terra ensombrada, Quem não tem nada tem tudo,

Quem tem tudo não tem nada.

Antônio Sales

19 Tarde percebo no Espaço A grande filosofia…

O que fazia não faço, O que faço não fazia.

Xavier de Castro

20 Adoro a Terra, entretanto, Vale mais no meu arquivo Ser vivo depois de morto, Que ser morto sendo vivo.

Martins Coelho

21 Do que vejo após a morte, Que mais me causa aflição,

É ouro na caixa forte E pequeninos sem pão.

Juvenal Galeno

22 Toda mulher é uma estrela, Se traz, seja linda ou não, A palma do sacrifício Na palma de sua mão.

Irene Souza Pinto

23 Ventura! – riqueza d’alma Que atirei pela janela. Saudade!

– retrato vivo Do bem que se foi com ela.

Artur Ragazzi

24 As coroas de finados, Na campa de quem morreu, São grandes zeros dourados Se a vida nada valeu.

Cornélio Pires

25 A pessoa vigilante Usa verbo temperado; Nem franqueza com pimenta, Nem brandura com melado.

Deraldo Nevile

26 Boneca que sempre riste De alma gelada e insincera,

Ah! Boneca, como é triste A solidão que te espera!

Vivita Cartier

27 O mundo aplaude e coroa Quem vence a batalha a esmo, Mas, no Além, o vencedor É quem venceu a si mesmo.

Antônio Azevedo

28 Palavras

– formas da imagem Que o cérebro deita aos molhos. Pranto

– divina linguagem Do coração pelos olhos.

Chiquito de Morais 29 Por mais que o mundo progrida, Vale o antigo passaporte;

Velha campa

– nova vida, Novo berço

– velha morte

Godofredo Viana

30 Não há júbilo, a rigor, Que se possa comparar

Ao de amor que encontra o amor Depois de muito esperar.

Maciel Monteiro

31 Mãe, abençoa teu filho Mesmo ingrato, rude e vão.

A luz nunca perde o brilho Por derramar-se no chão.

Rita Barém de Melo

32 Há muita paixão que arrasa Qual fogueira bela e vã. Hoje, brilho, chama e brasa, E muita cinza amanhã.

Marcelo Gama

33 Criança,

– linda semente, Raio de luz a sorrir.

É nesse pingo de gente Que Deus te entrega o porvir. Belmiro Braga 34 Muitos vivos vendo o morto Sentem pânico profundo, E há muito morto com medo Dos vivos que estão no mundo.

Carlos Câmara

35 Não sei discernir qual seja Mendigo mais sofredor, Se o pobre que pede pão, Se o rico que pede amor.

Augusto de Oliveira

36 Eis o quadro mais perfeito Que já vi do desconforto: Mãe transportando no peito A mágoa de um filho morto.

Maria Celeste

37 Afeições vistas do Além Em cem paixões que entrevejo: Uma delas – amor puro; Noventa e nove

– desejo.

Lucídio Freitas

38 O coração quando ama É céu que brilha de rastros, Luz de Deus que desce à lama, Ou lama que sobe aos astros.

Sabino Batista

39 O imenso mar que se aninha Entre céus, terras e escolhos Brilha menos que a gotinha De pranto a cair dos olhos.

Américo Falcão

40 Quem conserva terra vã Na Terra sem cultivar, Nasce na Terra amanhã Sem terra para morar.

Aderbal Melo

41 Rio morto, árvore peca, De tudo vi no sertão, No entanto, pior é a seca Que lavra no coração.

Virgílio Brandão

42 Palácios, arranha-céus, Muitos dos mais expressivos, São custosos mausoléus Resguardando mortos-vivos.

Benedito Candelária Irmão

43 Depois da morte, sentimos, No mesmo grau de rudez, Tanto o mal que praticamos, Quanto o bem que não se fez.

Jônatas Batista

44 Ama, filhinha, entretanto Sofre a dor que o lar te der. É toda feita de pranto A glória de ser mulher.

Vida

45 Mãe que partiu!…

Podes vê-la Na fé que te reconforta Toda mãe é como estrela Que brilha depois de morta.

Celeste Jaguaribe

46 No mundo, ninguém conhece A força de redenção De uma lágrima que desce Dos olhos ao coração.

Carlos Câmara

47 Amor

– da sombra em que existo, Parece clarão de aurora, Consolo de Jesus-Cristo, Mão estendida a quem chora.

Ulisses Bezerra

48 Depois da morte é que a gente Tem o amor que aperfeiçoa, Amando quem nos esquece Nos braços de outra pessoa.

Jovino Guedes

49 Coração, padece a chama Do martírio em que te elevas! Se muito sofre quem ama, Quem não ama vive em trevas.

Bernardo de Passos

50 Ateu

– enfermo que sonha Na ilusão em que persiste, Um filho que tem vergonha De dizer que o pai existe.

Alberto Ferreira

51 Minha mãe

– não te defino, Por mais rebusque o abc… Escrava pelo destino, Rainha que ninguém vê.

Meimei

52 És tu mesmo quem governas Teus sucessos e fracassos, Depende das tuas pernas A extensão dos próprios passos.

Aderbal Melo

53 Prudência se não valesse Na vigilância que exorta, Nenhuma casa teria Necessidade da porta.

Lobo da Costa

54 Nada de bom se mantém Onde alguém se obrigue a tal.

Virtude é fazer o bem Podendo fazer o mal.

Alcides Brandão

55 Mulher caída na estrada!…

Não grites condenação.

A chuva desce do céu E faz-se vida no chão.

Ricardo Júnior

56 Por esses trilhos terrenos Quantos louros imortais, Se o rico bebesse menos, Se o pobre comesse mais!…

Lulu Parola

57 Esquecimento na Terra

– Anestesista divino. Sofrimento

– cirurgião Que nos opera o destino.

Hildo Rangel

Vejo Gente Amor

58 Amor… Uma frase apenas…

Olhar terno que se afasta…

Um bilhetinho… uma flor…

Para quem ama isso basta…

Teotônio Freire

59 Se afirmas, triste e descrente, Que a vida acaba no chão, Repara a humilde semente Em plena ressurreição.

Fidélis Alves

Facebook Comments

Deixe uma resposta