Insônia e as Causas Espirituais que Causam esse Mau

Insônia se caracteriza pela dificuldade de iniciar o sono, mantê-lo continuamente durante a noite ou o despertar antes do horário desejado, podendo se tornar crônica e debilitante para quem sofre do transtorno.  

Veja:

Filme Bezerra de Menezes na Integra

Visão Espiritualista da Cura

Ramatís Um Grande Mestre

Email da Andreia Peixoto: [email protected]

Dicas como mudar hábitos alimentares e rotina diária, podem ajudar a regularizá-lo e são medidas essenciais que refletem na saúde como um todo.  

Algumas causas conhecidas que provocam o desequilíbrio do sono são: apneia, depressão, ansiedade, estresse, ambiente com muito barulho, luz excessiva, cafeína, álcool e outras drogas.  

Insônia provoca alterações do humor, de memória, dificulta o aprendizado, raciocínio e pensamento, prejudicando também a saúde física.  

No âmbito da dimensão física, buscar a alimentação saudável, as atividades físicas, o contato com a natureza e os momentos de lazer, são recomendações pertinentes.  

Reconhecer pensamentos e sentimentos que possam estar alterando o ritmo normal do sono, criando conflitos e distúrbios.  

Uma sensação de estar quase dormindo e de repente, um movimento brusco e involuntário do corpo, rouba-lhe o sono e os olhos arregalam.  

Insônia Quando nos deitamos 

Quando nos deitamos para dormir, inicia-se um processo natural de afrouxamento das sensações físicas e uma ampliação dos sentidos sutis.  

No caso da insônia, entre o estado de vigília e de sono, há uma perturbação, que impede o fluxo natural desse processo.  

Essa perturbação ocorre porque há uma sensibilidade exacerbada, que se expressa de forma desequilibrada e que se torna mais ostensiva nesse período que precede o sono.  

A insônia se caracteriza pela dificuldade de iniciar o sono, mantê-lo continuamente durante a noite ou o despertar antes do horário desejado, podendo se tornar crônica e debilitante para quem sofre do transtorno.  

Algumas causas conhecidas que provocam o desequilíbrio do sono são: apneia, depressão, ansiedade, estresse, ambiente com muito barulho, luz excessiva, cafeína, álcool e outras drogas.  

No âmbito da dimensão física, buscar a alimentação saudável, as atividades físicas, o contato com a natureza e os momentos de lazer, são recomendações pertinentes.  

Algumas pessoas se deitam 

Algumas pessoas se deitam e o sono não vem…. Sem nenhuma explicação… Há uma interferência energética atuando no metabolismo, como um ruído em uma estação de rádio, quando não conseguimos sintonizá-la.  

Angústia sem explicação, tremores, calafrio…. Uma sensação de estar quase dormindo e de repente, um movimento brusco e involuntário do corpo, rouba-lhe o sono e os olhos arregalam.  

Barulhos estranhos, pesadelos que fazem acordar… E muitas vezes, quando consegue adormecer, acorda no outro dia com um extremo cansaço, sem energia…  

No caso da insônia, entre o estado de vigília e de sono, há uma perturbação,

que impede o fluxo natural desse processo.  

Com isto, a pessoa começa a sofrer de problemas para desdobrar-se do corpo

físico e manter sua regularidade do sono.  

Neste caso podemos sofrer de obsessões de espíritos que sintam afinidade

com nossa frequência vibracional, ou que vampirizam nossas energias.  

Como dormir com tantas sensações desagradáveis? 

Sentir o mundo astral e não saber como lidar com o desconhecido, é como ter que caminhar com uma venda nos olhos.  

Por meio de nossa aura, pelos chacras, recebemos as impressões do plano astral.  

Alguns distúrbios neste sistema psicobioenergético,  acarretam a alteração

metabólica que resulta na insônia.  

Glândula pineal é responsável pela melatonina, hormônio regulador do sono.  

Sua produção ocorre e se acelera com a Falta de luminosidade.

Falando de Insônia…

No processo de influenciações espirituais e energéticas negativas,

a glândula é afetada, porque é por ela que se recebe os estímulos astrais.  

A vida é resultado de sua manifestação e a saúde é o reflexo de seu

fluxo saudável entre as dimensões que interage.

Email da Andreia Peixoto: [email protected]

Facebook Comments

Deixe uma resposta