Licantropia E Zoantropia Influencia Espiritual na Mente da Pessoa

LICANTROPIA  Licantropia tem origem do vocábulo grego lykanthropía composto por Lykos (lobo) e tropos (forma), o que significa de acordo com o livro Estudando a Mediunidade de Martins Peralva “é o fenômeno pelo qual espíritos, pervertidos no crime,

 Licantropia Efeitos Físicos e Ação

atuam sobre antigos comparsas, encarnados ou desencarnados, fazendo-os assumir atitudes idênticas às de certos

animais.” No caso da licantropia o animal seria um lobo e a pessoa que sofre esse processo é chamada de Licantropo

, que é uma palavra que tem origem do vocábulo grego lykaánthropos que significa: “ 1.  

De acordo com o artigo da Revista Cristã de Espiritismo, n° 35, onde o autor aborda a questão da Zoantropia, ele afirma

que se trata de um caso de Subjugação, que de acordo com o Livro dos Médiuns (Capítulo XXIII) se trata de “uma

constrição que paralisa a vontade daquele que a sofre e o faz agir a seu mau grado” o que não deixa de ser parecido com

a fascinação.  

Veja:

Licantropia E Zoantropia Influências mentais

De acordo com o artigo Corpo Astral da Revista Cristã de Espiritismo uma das características da “matéria espiritual” é o

fato dela ser muito dócil à ação plasmatizante do pensamento.  

Miranda nos esclarece que “o hipnotizador, ou o magnetizador, não pode moldar, à sua vontade, o perispítio da sua vítima,

mas ele sabe como movimentar forças naturais e os dispositivos mentais, de forma que o Espírito, manipulado com

perícia, acaba por aceitar as sugestões e promover, no seu corpo perispiritual, as deformações e condicionamentos

induzidos pelo operador das trevas que funciona como agente da vigança, por conta própria ou alheia.  

Nessas condições, a vítima acaba por assumir formas grotescas, perde o uso da palavra, assume as atitudes e as reações

típicas dos animais e é segregado, por tempo imprevisível, de todo o convívio com criaturas humanas normais e

equilibradas”.  

Casos de Licantropia E Zoantropia na literatura

a) Libertação – AndréLuiz  Nolivro Libertação, pelo Espírito André Luiz, no capítulo 5 “Operações seletivas” narra a visita

de André Luiz e Gúbio a um edifício onde ocorria julgamentos no qual a função dos juízes era a “de

selecionar delinqüentes, a fim de que as penas lavradas pela vontade de cada um sejam devidamente aplicadas em lugar

e tempo justos”.  

b) Nos Domínios daMediunidade  Nocapítulo 23, Fascinação, do livro Nos Domínios da Mediunidade, pelo espírito de

André Luiz, há um caso de fascinação onde uma senhora é dominada por um obsessor com o qual teve uma ligação

antiga em uma outra vida onde ela o induziu ao mal e por ela não corresponder ao seu devotamento, ele passou

a persegui-lá.  

d) Bíblia  Há um caso dezoantropiana bíblia em Daniel, capítulo 4, versículo 25 a 34, onde narra a história do rei

da Babiblônia, Nabucodonosor, que após sua exaltação onde disse que construiu a Babilônia para fazer dela sua mansão

real e para servir à gloria de sua majestade, escutou uma voz que lhe disse “Isto é a ti, ó rei Nabucodonosor,

se intima: O

teu reino passará de ti a outro possuidor, e lançar-te-ão da companhia dos homens e a tua habitação

será com as

alimárias e feras: comerás feno como o boi, e sete tempos passarão por cima de ti, até que reconheças que o

Excelso tem

um poder absoluto sobre os remos dos homens, e que os dá a quem lhe apraz.” Assim, viveu como um animal durante

sete anos, findo o período, ele retomou a forma humana, seu reino e o juízo, e reconheceu que o Altíssimo domina sobre a

realeza glorificando a Deus e a Sua Justiça e reconheceu que diante Dele nenhum habitante da terra tem importância.  

TRATAMENTO ESPIRITUAL  

Miranda afirma que: “O trabalho de resgate desses pobres irmãos, que chegam até a perder a consciência da sua própria indentidade, é tão difícil quão doloroso, e jamais poderá ser feito sem a mais ampla cobertura espiritual…  

Para revertemos esses casos de deformações do períspirito não são necessários nenhum produto farmacêutico

convencional e sim, somente, o humilde arsenal terapêutico da medicina dos espíritos que é a prece, o passe, a

cooperação dos irmãos espirituais, a água fluidificada, o amor e principalmente a fé.  

O perdão também é necessário nos casos em que a vítima se sente culpada pelos seus débitos passados e continuam se

sintonizando com aqueles que participaram de seus atos errôneos.  

Com isso concluímos que a melhor forma de favorecer a cura de pessoas que estão sofrendo a atuação desses espíritos

inferiores é o estudo diário e incessante do Evangelho e da Doutrina, o trabalho incessante na seara do bem e sempre ter

presente no coração, o amor.

Facebook Comments

Deixe uma resposta