Depoimento de como Lidar com o Medo da Mediunidade e Proteção

A Caminho da nova era. Estamos distraídos impacientes como se carregássemos conosco todo o barulho deste mundo conturbado?

Medo da Mediunidade e Proteção

Somos superficiais e apressados, como se todo corre-corre louco dos carros e das máquinas corresse em nosso sangue?

Estamos com o coração poluído, agitado, partido, incapaz de mergulhar nas profundezas do silêncio, na intimidade do ser?

Veja:

Porque tanta pressa?

Por que tanta agitação, tanto nervosismo, tanta falta de espontaneidade?

Vamos despertar esta sede de Deus que mora em nós e que tentamos abafar, com o barulho da música, com as diversões fáceis, com drogas, sexo e ilusões.

Com a chegada do ano 2000 devemos nos questionar sobre qual será a nossa atitude frente à vida, ou ainda, qual será nossa preocupação para uma melhor realização pessoal.

Parecem questões simples e óbvias, porém todas as mudanças do mundo atual nos fazem ver que uma postura de simples observação, acomodação ou mesmo distanciamento nada somarão para quem quer sobreviver na Era do Espírito.

A busca de diferenciação pessoal impõe que se esteja muito bem afinado às premissas dos novos tempos.

Estas premissas solicitam estar a par de tudo que virá a vigorar na Nova Era.

Mas afinal, o que é tudo isso? O que é a Nova Era, a Era do Espírito, a Era dos Valores Éticos, Mundo Holístico ou Era da Informação?

O que é o novo Paradigma?

Todos esses nomes têm correlações muito próximas.

Mas, independente do nome que se dê, o que importa é saber que o novo milênio nos impõe novas atitudes e comportamentos.

Já estamos na transição para a Nova Era, e estar tomando consciência dessa mudança já nos faz ver que novos conceitos e uma nova forma de pensar devem começar a vigorar.

Estar em condições de viver no novo milênio exige uma visão universalista do mundo, ou seja, devemos olhar para o conjunto e ver a tendência da natureza em caminhar para uma organização mais apurada.

É a tendência universal de sintetizar as partes num todo organizado.

Muito próxima a essas definições está a Teoria Sistêmica, que segundo alguns autores, é igual à visão da globalização.

Trata-se da idéia de que nada pode ser encarado isoladamente, mas deve ser visto como parte de um sistema, deixando de lado os velhos padrões fragmentados, onde tudo era causa/efeito, num pensamento linear.

Vivemos também a Era da Informação.

A explosão das comunicações nos forçou a integrar novos conhecimentos aos nossos antigos pontos de vista.

Há mais informações disponíveis hoje do que em qualquer época da nossa história.

Com isso, nos é permitido ver o mundo de uma perspectiva muito mais abrangente e profunda que a de nossos antepassados.

A chamada Era do Espírito é, na verdade o renascimento de uma percepção ampliada da realidade e compreende um repensar da existência humana em si.

Mas não há nada de mais antigo do que o conteúdo dessa Era.

Através da história sempre houve pessoas que acreditavam que a condição comum do ser humano poderia ser transcendida.

A visão do mundo preconizada pela Nova Era na verdade tem suas raízes no passado remoto da história humana.

Pode-se dizer, contudo, que o movimento cultural a que chamamos Nova Era teve seus contornos melhor definidos a partir das décadas de 60 e 70. E nos anos 80 e 90 começamos a perceber a direção e magnitude dessas mudanças.

Dizemos que estamos à beira de um novo paradigma porque uma nova estrutura de pensamento passou a ser difundida.

“Uma mudança de paradigma é uma maneira clara e nova de pensar sobre velhos problemas. Um novo paradigma envolve um princípio que sempre existiu, mas do qual não nos apercebíamos”.

(Merilyn Fergson, 1980) O paradigma da Era do Espírito ou dos Valores Éticos, vê a humanidade embutida na natureza, promove a autonomia do indivíduo em uma sociedade descentralizada.

Encara-nos como os administradores de todos os recursos, internos e externos, sem contrariar a natureza.

Com isso cria-se oportunidade para as pessoas experimentarem mudanças de consciência.

Temos que parar para pensar!

Parar para ver o quanto temos contribuído, ou, ainda, o quanto temos se preparado para viver no terceiro milênio, que será a Era do Espírito e dos Valores Éticos?

E, sobretudo, estar consciente da total responsabilidade que cada um de nós tem, no preparo da Nova Era.

Vivemos um momento histórico e decisivo em nosso processo evolutivo, a se refletir em todos os campos do conhecimento humano.

A situação do problema mediúnico, nesta fase de acelerada transição da vida terrena, exige que os estudos e as reflexões sobre a Mediunidade sejam facilitados e que chegue ao alcance de todos.

Neste sentido, procuramos demonstrar, nesta obra, o que é em essência e como funciona a Mediunidade de Efeitos Físicos.

Não podemos esquecer também que foi através de uma série de fenômenos de efeitos físicos que se deu a origem da Doutrina Espírita e como espíritas temos que saber como eles acontecem.

 

Amiga e amigo, não aceites os sonhos loucos da mediunidade de fachada

e de formalidade. Muito se perde por muito fingir. O caminho do Cristo é o da

verdade profunda, da verdade que transforma, que transmuta sentimentos

inferiores em paz, em compreensão, em harmonia. Um dia, no futuro feliz,

entenderemos o poder da devoção sincera, da amizade verdadeira, do Amor

do Pai. Até lá, resta-nos servir, aprender a perdoar e, acima de tudo, a

colocar o Reino de Deus acima das tristes convenções humanas que tantas

vezes desumanizam a criatura.

Nosso movimento, o movimento espírita, passa por profunda fase de

renovação, aos olhos do espírito é um verdadeiro renascimento. É uma

revolução cultural silenciosa e eficaz. Seja você, amigo e amiga, aquele que

fará a diferença na sociedade ao eleger como regra de conduta os valores do

espírito, o cristianismo puro e verdadeiro, e, onde estiveres, nós, teus amigos

invisíveis, estaremos contigo!

Paz.

Ivan de Albuquerque

Facebook Comments

Deixe uma resposta