MILHÕES de GIGANTES Vão REENCARNAR Na TERRA

ESPÍRITAS OS NEFILINS ESTÃO VOLTANDO – MILHÕES de GIGANTES Vão REENCARNAR Na TERRA

ESPÍRITAS OS NEFILINS ESTÃO VOLTANDO – MILHÕES de GIGANTES Vão REENCARNAR Na TERRA

Assine a nossa Newsletter



 

Nosso Canal:  https://www.facebook.com/CANALVERDADEESPIRITA/

É muito difícil para a ciência aceitar a idéia de que parte nossos ancestrais eram gigantes, mas existem fortes indícios que em um passado distante eles realmente caminharam pela terra, pois quase todas as mitologias e livros sagrados os mencionam.

de conhecimento que na antigüidade, relativamente há mais ou menos 10.000 anos, a cremação era uma lei universal, além disso, uma grande parte da raça de gigantes segundo a tradição esotérica, desapareceu com a última ilha atlante denominada de Possêidon.

Segundo também os escritos sumerianos, Gilgamesh, um dos sobreviventes do grande dilúvio era um gigante colossal, media 5,50m de altura, 2,0 metros de largura e pesava 2.844 kgs.
Suas faces luziam como o sol, seus olhos também eram como a luz ardente.E eles me ergueram e me conduziram ao primeiro céu, e voaram com suas azas e deram a volta em todos os planetas, desfilaram em torno de mim os mais velhos governantes das ordens celestes.”

No novo mundo, também fala-se de uma raça de gigantes da Tarija que vivia na vertente oriental dos Andes e no Equador, e que combatia os deuses e os homens.
3, v.11)“Ora, Ogue, rei de Basã, era o último sobrevivente dos Refaim (raça de gigantes): seu leito é o leito de ferro que se vê em Rabá dos amonitas e mede nove côvados de comprimento por quatro côvados de largura.”(O côvado hebraico mede quase 48,4 cm!) ;(Números, cap.
4 a 7), pesava 600 siclos de ferro, aproximadamente 60 kgs, sua armadura pesava 1.000 ciclos de bronze, ou seja 100 kgs.
O livro apócrifo de Baruch diz até o número exato de gigantes que haviam na Terra, cerca de 409.000 deles.

Construções megalíticas espalhadas ao redor do mundo são atribuídas a eles, como por exemplo Ballbek citada no livro I Reis do Antigo Testamento, onde a tradição árabe relata que foi construída logo após o grande dilúvio pelos gigantes que sobreviveram.

Na realidade esqueletos gigantes foram realmente encontrados em todas as épocas da humanidade por arqueólogos ou mesmo por acaso, provando que eles de alguma forma, realmente caminharam sobre a terra.

Foram encontradas pegadas humanas gigantes datadas de até 250 milhões de anos, medindo 59 x 18 cm, indicando peso de 250 kg encontradas em Mount Victoria , Estados Unidos, investigas e descobertas em 1.930 pelo Dr, Rex Gilory, diretor do Mount York Natural History Museum.
Vários recintos de pedras eram considerados como obra dos cinco irmãos Pandavas, eles próprios considerados gigantes, menores que os atlantes, mas consideravelmente maiores e mais robustos que o que nos tornamos hoje.

Ossadas pertencentes a humanos medindo perto de 3,00m foram descobertas no sudeste da China, e o Dr.Pei Wen Chung, paleontólogo de renome mundial, data esses restos de 300.000 anos, época em que viviam ainda numerosas raças gigantes.

Descobriram-se lá vários túmulos de forma cônica que pertenciam muito provavelmente a uma raça extinta que ocupou outrora essa região e que deixou uma vasta necrópole formada de incontáveis montículos espalhados nas encostas do condado de Clay.

O juiz West, no único túmulo que foi aberto, descobriu os restos de dois esqueletos gigantes cujos ossos do crânio eram de uma dimensão monstruosa, a mandíbula era o dobro da de uma pessoa civilizada, e o osso maxilar, indicava uma forma muscular pouco comum.

196), escreve que Tertuliano certificou que havia no seu tempo, um certo número de gigantes em Catargo e que o próprio Filóstrato observou um esqueleto gigante de 22 côvados no promontório de Sigeu.
Robert Charroux teria visto, em 1.960, no Templo-museu de Tiahuanaco, uma série de crânios que iam do tipo Cro-Magnon até o tipo gigante que devia medir de 30 a 40cm de altura.

Se partirmos da estatura e constituição normais do homem, indivíduos que pudessem manejar instrumentos tão descomunais deveriam ter tido a altura aproximada de 4,00 m.

Em uma única tumba foram encontrados vários artefatos e esqueletos de gigantes medindo 2,10 m, que tinham cabelos vermelhos até os ombros, como assegura os próprios registros indígenas.
Paralelo a isso, existem também muitos relatos atuais de avistamento Ovnis, associando os seus tripulantes a gigantes, sendo um dos mais significativos, o incidente verificado na cidade russa de Voronesh, situada a 320 km de Moscou, acontecido em setembro de 1.989.

Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner

 

Nesse dia mais de vinte pessoas comprovadamente presenciaram uma nave pousar no parque público da cidade e dela saíram três entidades de enorme estatura.

Esse episódio na época foi largamente noticiado tanto na Rússia, como em outras partes do mundo, sendo o que tornou mais verídico o caso, foi o fato, que muitos dos que presenciaram a inusitada aparição eram crianças, outros por sua vez, que não presenciaram diretamente, afirmam até hoje terem visto a mesma nave descrita pelas testemunhas sobrevoando os arredores de Voronesh.
O escritor americano Zecharia Sitchim, sustenta essa teoria em função da tradução de tábuas sumérias de escrita cuneinforme as quais relatam a vinda de entidades extraterrestres ao mundo ofertando ao homem o conhecimento da civilização.

Segundo as tábuas, os sumérios os chamavam de Anunakis, cuja tradução em sumério seria “aqueles que vieram do céu para terra”, os sumérios os descrevem como uma raça de elevada estatura, ou seja, proporcionalmente bem maiores que nós humanos.

Mostra-nos também o planeta Urano somente descoberto em 1.930, existindo também um outro planeta, que seria o décimo segundo de nosso sistema solar, somente detectado pelos nosso potentes telescópios no final do século XX, esse planeta os sumerianos chamavam Nerebu, o qual seria o verdadeiro lar dos Anunakis.O Espírito Ramatis o chamou de o “Astro Intruso”, ou “Planeta Higienizador”, na Bíblia parece ser mencionado em Apocalipse (cap.8 vs.

Ainda no mesmo lacre, existem três figuras, duas humanas, a outra representando a divindade, oriunda de Nerebu, que visivelmente possui quase o dobro da altura dos habitantes terráqueos ali representados.

Quanto a uma raça de gigantes, surpreendentemente o profeta Isaías no Velho Testamento, atesta que existiu um povo na antiga Babilônia que possuía uma estatura bem elevada para os padrões da época como podemos comprovar no (cap.

18, v.2) do seu livro: “Ide , mensageiros velozes a um povo de alta estatura e de pele luzente a uma nação temida poderosa e dominadora cuja terra é cortada pelos rios.
1 e 2), que diz: “Quando os homens começaram a multiplicar-se sobre a terra, e lhes nasceram filhas, os filhos de Deus viram que as filhas dos homens eram belas, e escolheram esposas entre elas.” Analisando cientificamente a questão, mesmo hipoteticamente indagamos ao leitor se todos nós temos o material genético, do(s) “primeiro(s) homem(ns)”, não é surpresa encontrarmos aqui e ali a presença de gigantes entre nós, uma vez que existe um gene recessivo produzido tal pessoa.

As condições atmosféricas de hoje pela diminuição da camada de ozônio não permitem, segundo os cientistas o aparecimento do gigantismo da maneira proeminente como existiu no passado.
Por outro lado, poderíamos concluir que esses indivíduos de compleição física superior tidos como gigantes não seriam necessariamente seres vindos especificamente de outras paragens do espaço infinito, e sim formados na própria Terra.

Quando falamos “especificamente”, é em razão de sabermos que milhares de espíritos de natureza superior que encarnaram na Terra em épocas longínquas, eram realmente espíritos que habitaram outras sistemas estelares, portanto extraterrestres.

Por outro lado, se fizéssemos uma comparação da altura média do homem civilizado no planeta Terra, em nossos dias poderíamos considerar uma faixa mediana de 1,70m.
E se os jogadores de basquete fossem colocados lado à lado com os pigmeus das tribos africanas, que em média medem 1,10m ou mesmo de anões com 0,90m de altura.
Naturalmente alguns desses indivíduos não chegaram a velhice e desencarnaram por assim dizer, precocemente apresentando complicações fisiológicas geradas pelo excesso de crescimento causadas por uma disfunção hormonal chamada anacromia.

O avistamento ou a percepção de tal seres na antigüidade, tal como aconteceu na cidade russa, poderia sugerir por parte de muitos uma associação direta dessas entidades extraterrestres com indivíduos possuidores de grande estatura da própria terra, considerando-os “filhos dos deuses”, gerando assim as histórias mitológicas e as lendas da antigüidade, que também ficaram registradas em muitos livros sagrados.

Portanto certas divagações de literatura fantasiosa, que afirmam ter havido naquela época um estranho conúbio entre seres celestes (extraterrestres) e terrestres de cujo contato carnal nasceram gigantes e monstros na antigüidade não procede.

Exceção feita aos relatos sumerianos, que podem ser explicados pela própria encarnação dos capelinos, no planeta Terra, os quais poderiam além da inteligência, possuir um biótipo mais avantajado, já que segundo Emmanuel, habitavam um mundo bem superior a própria Terra.

Desta forma, os gigantes de uma forma geral, foram habitantes formados na própria Terra numa época em que os prepostos de Jesus ainda faziam experiências genéticas perispirituais, visando adaptar melhor o ser humano as condições climáticas do próprio planeta.

Facebook Comments