Os Pensamentos e Sentimentos Como controlar Explicação Espírita

Na visão espírita, a reforma íntima é um dos pontos mais importante para a evolução do ser, a transformação dos sentimentos e das atitudes equivocadas no qual estão dentro do nosso intimo, certamente, de um pregresso desafortunado do qual fomos atores. A reforma íntima faz parte das atitudes necessárias para os ensinos morais, pregada pela doutrina, Jesus um exemplo que pode ser apresentado para materializar esses preceitos.

Como controlar Os Pensamentos e Sentimentos

pense bem, qual pessoa não quer se tornar melhor ou se elevar espiritualmente? Todos querem, mesmo não querendo mudar

os hábitos querem, mas ironicamente querem melhorar mesmo sendo “sem fazer alguma mudança”. Isso faz parte da lei do progresso.

O argumento a ser subsequente contém uma variedade de atitudes no terreno da capacitação de virtudes como a paciência,a tolerância, a condescendência, a benevolência, a caridade e uma série de outras qualidades que o nosso ser necessita,

com toda certeza, aprimorar. Trata-se de uma renovação mental, de mudança de valores, o que não é muito fácil realizar.

Atributo para remodelar

Uma tarefa muito difícil, mas não impossível, em atributo de estarmos remodelando nossos costumes e condutas que vem de

milentos, difíceis de abandonar. Dessa maneira, uma forma de empreender melhor a chamada reforma interior é o que

dispomos de chamar de “controle da mente” ou “controle do pensamento”, entendido como sendo a atitude mental conservada pela vontade.

Mente e pensamento. A meio de outros significados, os vocabulários da língua portuguesa indicam um: espírito. Não será de

todo errado se julgarmos os dois primeiros conceitos contidos no segundo.

O pensamento age como um processador que processa aquisições realizadas, conscientes ou inconscientes, nas áreas

cognitiva, afetiva e psicomotora. É o pensamento que responde pela criatividade, pela elaboração de diagnósticos e de

consequências, pelas pressuposições. Nele estão as dádivas a genialidade, as práticas, as manias, o psiquismo, a escolha,

as glórias no campo das virtudes e dos vícios. Tudo, conquista do espírito.

Corpo físico

Como corpo físico perfeito, pela extensão encefálica o espírito encarnado se relaciona com o mundo terreno por intermédio do

seu pensamento. Nele se deparam o que estamos urdindo ou construindo, as sensações de todo o tipo, as percepções,

medos, angústias, e mesmo a fala, seja ela fruto de elaboração consciente ou não. Tudo, enfim, está no que chamamos de

pensamento e é por ele que nós interagimos com o mundo exterior refletindo o nosso mundo interior.

No Capítulo XIV de “A Gênese”, Allan Kardec aumenta a percepção que a respeito da ação do pensamento e da vontade

sobre os fluidos espirituais. Esses fluidos (matéria etérea) acham-se em todo o Universo e podem ter suas qualidades

básicas modificadas pela força do pensamento.

Nossa mente projeta para o externos de nós as formas, as figuras e os personagens de todos os nossos desejos, até mesmo

com todo o conteúdo ativo do cenário elaborado. Assim, trazemos ou repelimos as mentes que conosco apreendem ou

desaprovam nosso modo de pensar. Imaginamos que sempre estamos sozinhos com o nosso pensamento. Ledo engano.

Nós o compartilhamos com inúmeras outras inteligências.

Ambiente e fluido

O ambiente fluídica unem seres desencarnados com tendências morais e vibratórias semelhantes. Por esta razão, os

espíritos superiores recomendam que nossa conduta, nas relações com a vida, seja a mais elevada possível. Uma pessoa

que vive jogada ao pessimismo e aos maus pensamentos, tem em torno de si uma atmosfera espiritual pesada, negra, da qual

se aconchegam espíritos doentios. A angústia, a tristeza e a desesperança aparecem, formando um quadro físico-psíquico

deprimente, que pode ser modificado sob a orientação dos ensinos de Jesus.

Os pensamentos bons fornecem luz causando vibrações elevadas que nos traz conforto e sensação de bem estar às

pessoas sob sua influência. Os pensamentos maus, por sua vez, provocam alterações vibratórias contrárias. Os fluidos

ficam escuros e sua ação provoca mal estar físico e psíquico.

Qual é o fluido do perispírito?

O corpo perispiritual é formado desse idêntico fluido existente no orbe terrestre, podendo, assim como, ter suas moléculas

(composição) alteradas pela ação da força da mente. Isto explica a influência que há entre os seres humanos.

Os fluídos atuam sobre o perispírito, e este, por sua vez, procede sobre o organismo material com o qual está em contato

molecular. Se suas emanações forem de boa natureza, o corpo capta uma impressão salutar; se forem maus, a impressão é

penosa. Se os fluidos maus forem permanentes e enérgicos, poderão determinar desordens físicas. Certas moléstias não têm

outra origem senão essa influência maléfica, causadora de enfermidades de diagnóstico obscuro.

Quando estamos irados, implica-os por ódio, inveja, ciúmes, orgulho, egoísmo, sentimento de vingança, irradiamos pelo

pensamento vibrações de baixa qualidade que geram os chamados “ambientes pesados”. As pessoas sensíveis percebem

esse influxo. A ação do pensamento pode ser tão poderosa que o efeito, às vezes, torna-se explicitamente percebido, como

os chamados “dardos de inveja”, “olho grande”, “quebranto” etc.

Desejando o bem

De outra forma, quando estamos concentrados em prece, desejando o bem, servindo ou ajudando ao próximo com pureza de

sentimentos, nossas vibrações elevadas geram os chamados “ambientes leves”, “ambientes higienizados”, característicos

que são das casas de oração, dos centros espíritas ou das residências em que seus habitantes vivam harmonicamente e

tenham por hábito sistemático a oração e o culto do evangelho no lar.

André Luiz, em suas obras, revela-nos, invariavelmente, que a atitude mental voltada para o bem, observada durante todo o

dia, fruto da disciplina intelectual e emocional, nos facilita a saída durante o sono físico para rumos edificantes, permitindo-nos

receber a ajuda do Alto, de que tanto necessitamos na trilha terrestre.

Vigiar e orar, aconselhamento que não pode estar dissociado do apelo às forças da alma no sentido de renunciar a si mesmo, é roteiro para a edificação do bem comum.

Disciplina, disciplina, disciplina, recomendada por Emmanuel, não se consegue se não for pelo devotamento e pela força de vontade.

Imperiosa necessidade

Para tudo, portanto, há uma imperiosa necessidade do controlar as emoções, controlar o pensamento, controlar a mente ou,

em última análise, controlar o espírito, sabendo que o espírito encarnado ou desencarnado, ao atuar na matéria por intermédio

da força do pensamento, pode exercitar o bem ou o mal.

De um modo geral, a humanidade desconhece que um mínimo de desvio do pensamento voltado para o bem, potencialmente

implica um malefício para alguém, para si mesmo e, na pior hipótese, contribui para a perturbação da atmosfera fluídica do planeta.

O estudo dos fluidos ajuda bastante à compreensão do mecanismo da influência da atitude moral dos seres humanos no ambiente que os envolve.

Estudando e entendendo as reais consequências que geram nossos pensamentos estaremos mais lúcidos para a transformação que nos cabe realizar. O controle do pensamento é a chave. Aí está o segredo para encontrar o caminho da felicidade.

Facebook Comments

Deixe uma resposta