6 dicas para ficar imune a situações negativas

Ficar imune a situações negativas. Ainda que cada um de nós não possamos ser imunes aos pensamentos negativos, ou seja, até determinado ponto não possamos evitar que alguns pensamentos negativos nos invadam a mente, podemos não os seguir.

6 dicas para ficar imune a situações negativas

Assine a nossa Newsletter



 

No exato momento que temos consciência que estamos a ser tomados por uma avalanche de pensamentos intrusivos e negativos, podemos orientar a nossa atenção para a construção de pensamentos capacitadores, para pensamentos positivos.

“Adoro pensar positivo Sabe aquela forma tenaz de querer que as coisas deem certo, aquela insistência em que vislumbrarei uma solução, que perante a negatividade conseguirei minimizar os danos.

Adoro estar ciente que olhar pelo lado construtivo e capacitador depende de mim, depende daquilo que tenho a dizer, do que tenho a dar, daquilo que posso e quero fazer.
Vivo focado na positividade, numa positividade inacabada, pois sei que só depende de mim poder continuar a melhorar.

Acreditamos conseguir organizarmo-nos melhor no sentido de irmos ao encontro das nossas necessidades, objetivos e sonhos.

O ponto de partida extremamente importante é a convicção de que você é capaz de conquistar algo significativo, ou que você tem, pode descobrir, ou construir algo especial para contribuir para ser bem sucedido.

Saboreie a experiência de ver-se a ultrapassar uma dificuldade, a bater um recorde, a ser promovido, o seu livro a ser publicado, a fazer uma venda, a dar um discurso e obter aplausos, a vencer uma corrida, a viver o seu sonho.

Quando simulamos o que desejamos alcançar, aumentamos a probabilidade de construirmos também os passos necessários que asseguram as ações que nos levam à materialização da nossa visão.

Obviamente, por vezes a vida impõe toda a sua ferocidade, bate forte, derruba-nos, inflige-nos sofrimento, e naturalmente sentimos algum tipo de mágoa face às próprias circunstâncias.

Por exemplo: no início do dia pode dizer para si mesmo: “Eu vou encontrar um forma de sentir-me melhor.” Ou, “Eu vou focar-me na melhoria do meu humor.” Quando as coisas dão errado ou você venha vacilar, não dê desculpas insalubres, ao invés diga algo como: “Eu não dei a devida importância ao que estava a realizar, mas eu posso aprender com esta falha.”

forma como narramos a nossa história ou como falamos para nós mesmos, momento a momento, tem um impacto enorme na maneira como olhamos o mundo e como vamos instituindo um padrão mental de pensamento.

Monitorize o seu diálogo interno autocrítico e escolha cuidadosamente as palavras que usa para orientar as suas ações e para moldar as suas crenças.
Deliberadamente construa um diálogo consigo mesmo que oriente os seus recursos e capacidades para a construção de soluções, tomando uma atitude positiva: “Eu posso superar este desafio.” Você não deve ignorar os problemas que enfrenta, nada disso.

Mas com os problemas ou dificuldades em mente, deverá esforçar-se por adotar uma atitude construtiva e otimista que faça emergir toda a sua criatividade e capacidades de criação de soluções.

Por vezes o sofrimento emocional tolda-nos o raciocínio e estreita-nos a nossa atenção, forçando-nos a ficar cientes dos nossos incómodos e a fazer desaparecer tudo que existe de bom ao nosso redor.

Se você é educado, tem comida, é saudável, tem um relacionamento amoroso, financeiramente estável, etc, em seguida, olhe para isso, valorize e coloque na lista das suas bênçãos.

Se você está desempregado, doente, num relacionamento tóxico, está na falência, etc, em seguida, coloque esses itens na sua lista de problemas a resolver ou a melhorar.
Nós tendemos a tomar todas as coisas boas em nossas vidas como um dado adquirido, e ao invés, focamo-nos nas nossas falhas, necessidades e aflições em larga escala.
Se as pessoas que pensam positivo conseguem sentir-se mais realizadas, vivem mais tempo e são mais felizes do que as que pensam negativo, então porque razão muitas delas adotam um padrão de pensamento negativo?

 

Facebook Comments