Psicografia de George Harrison The Beatles

Psicografia de George Harrison The Beatles. No médium puramente mecânico o movimento da mão é independente da vontade. No médium intuitivo, o movimento é voluntário e facultativo. O médium semimecânico participa das duas condições. Sente a mão impulsionada, sem que seja pela vontade, mas ao mesmo tempo tem consciência do que escreve, à medida que as palavras se formam. No primeiro, o pensamento aparece após a escrita; no segundo, antes da escrita; no terceiro, ao mesmo tempo. Estes últimos médiuns são os mais numerosos.

Psicografia de George Harrison The Beatles

As psicografias são realizadas entre 10/15 minutos.
São posteriormente digitadas.
Não são editadas ( salvo exceções ).

George Harrison

‘Eu assisti a tudo’

Eu, que via algo diferente, seguia seus modos, seus passos.
Ele era um líder, um inconformado, cada ato seu se transformava em manifesto.

Eram simples, singelos atos de lucidez de quem assistia, entendia o que ocorria com seres, em sua maneira simples, que acreditavam em pessoas que, através dos torpes discursos, garantiam lhes querer fazer o bem.

A gente seguia seus passos, sua criatividade rompia com conceitos impostos. Sua genialidade rompia as barreiras, instigava, mudava os rumos de gerações.

Nós temos nossas virtudes, somos sensíveis, somos músicos.
Éramos jovens revolucionários, estávamos atentos…

Nossas mentes captavam o mundo, girávamos ao seu redor.

Não houve ponto final, certo momento cada um seguiu seu curso de vida mas, como um jovem ao sair de casa, todos sentimos a falta, a ausência das pessoas, dos amigos, dos integrantes dos Beatles.

E vieram os tiros e o John se foi… E veio a dor, a revolta, o desamor. Nos apegamos nos que ficaram.
A saudade sentida, a dor doída, cujos gritos silenciosos a nós alcançavam.

Minha partida foi mais calma, meu corpo silenciava, minha alma alcançava o doce sabor da liberdade.
Fui me encontrar com o John, sem mais os laços que me prendiam ao corpo, sem as dores, o desconforto.

Encontrei finalmente meu grande amigo. Circulamos juntos por aí.
São vários outros amigos, é bom se relacionar.

Fazemos canções… como é bom compor com a alma e poder cantar com a mente.
Nada acabou, somos simples Seres em transformação. Nossas canções são formas de expressão.
E quiséramos mudar o mundo um certo dia…

Foi o mundo que nos tem mudado.

George Harrison
Psicografia Lino Zechetto
Araçatuba, 08/016

‘SE FOR PRECISO ACONTECER’

“SE FOR PRECISO
EU VOU…
PARTO AGORA MESMO
POR ISSO…
EU JÁ ESPERAVA
NÃO É DE HOJE
QUE SINTO UMA TRISTEZA IMENSA

MEUS OLHOS BRILHAM
SÓ DE PENSAR
QUE AQUI, COMO ESTOU
NÃO IMPORTA PARA ONDE VOU
NÃO DÁ
NÃO POSSO MAIS FICAR

NÃO SE TRATA DE

SUICÍDIO, EUTANÁSIA, MORTE ANUNCIADA
MAS, UM VAZIO, UMA SENSAÇÃO DE QUE VOU MESMO PARTIR…

E SE A DOENÇA MACHUCA
ME CHAMA
OUÇO A VÓS DA NATUREZA
QUE RECLAMA
QUERENDO VER MEU CORPO DESCANSAR

É UM ALÍVIO
PODER PARTIR E NÃO SER DE SOBRESSALTOS
SÃO SENTIMENTOS QUE ME ALERTAM
DE QUE MINHA VEZ, MINHA HORA ESTÁ CHEGANDO

NÃO TENHO PRESSA

MAS VOU SEM RECLAMAR
APENAS PRECISO DE TEMPO NECESSÁRIO
PARA COLOCAR ÀS COISAS DA ALMA NO LUGAR
E ME DESPEDIR DE QUEM AMO!

SIM, É UMA CANÇÃO
QUE COLOCO NO PAPEL
QUE PODEMOS MUSICAR
TODOS IRÃO OUVIR
E JUNTOS VAMOS CANTAR

PODE SIM

FAZER MUITO SUCESSO
MAS, INDEPENDENTE DO QUE HOUVER
ENCARECIDAMENTE LHES PEÇO
QUE POR ELA TENHAM COMPAIXÃO
POIS
SENTIMENTOS DE QUANDO DA TERRA PARTI
QUE EU TRAGO JUNTO DE MIM
EU CONFIRMO, NÃO NEGO
OS TRANSFORMEI NESSA CANÇÃO ”
==================================== BIS
E SE A DOENÇA MACHUCA
ME CHAMA
OUÇO A VÓS DA NATUREZA
QUE RECLAMA
QUERENDO VER MEU CORPO DESCANSAR

É UM ALÍVIO
PODER PARTIR E NÃO SER DE SOBRESSALTOS
SÃO SENTIMENTOS QUE ME ALERTAM
DE QUE MINHA VEZ, MINHA HORA ESTÁ CHEGANDO

EU CONFIRMO, NÃO NEGO
OS TRANSFORMEI NESSA CANÇÃO ”

George Harrison
Psicografia Lino Zechetto
Araçatuba SP
( 03/07/018 )

Facebook Comments