Visões, Aparições e Vultos O que Acontece quando Vemos

Apesar de trazer cenas, imagens bem nítidas, vivenciar sensações físicas (dor, calor, frio, peso, leveza, odores, asfixia, gosto amargo ou de sangue na boca, etc.) e emoções intensas (raiva, medo, tristeza, saudade, alegria, amor, etc.)

Visões, Aparições e Vultos

como recordações de uma vida passada, mesmo assim, é comum o paciente colocar em dúvida nas sessões de regressão se essas experiências são mesmo reais ou fruto de sua imaginação, por conta de seu “véu do esquecimento” do passado ser muito cerrado, não o deixando reconhecer sua existência passada.

Vultos, aparições ou alucinação?

Após conduzir mais de 2000 sessões de regressão, somente um paciente lembrou, reconheceu claramente que o que trouxe na sessão de regressão foi realmente uma lembrança, uma recordação de uma vida passada, sem nenhuma sombra de dúvida.

Fica evidente, portanto, que o “véu do esquecimento” do passado, que se manifesta em forma de amnésia, é um mecanismo de defesa da mente com o objetivo de preservar a nossa integridade psicológica e emocional.

Caso não houvesse esse véu, obviamente ficaríamos perturbados ou mesmo surtaríamos se lembrássemos das atrocidades, das barbáries praticadas em vidas passadas por sermos seres em evolução…

Relacionamento íntimo

É estabelecer um relacionamento íntimo consigo mesmo, interpretando os pensamentos e sentimentos – usando da maior honestidade possível – e, principalmente, desenvolvendo a intuição.

E o mais importante: combino antes com ele para que deixe a mente aberta, ou seja, deixe vir tudo no original, sem filtrar ou duvidar o que vem como conteúdo de seu passado, mesmo que seu ego (mente racional) ache um “absurdo”, “uma tolice” o que vai falar.

Em verdade, a regressão de memória é como um quebra-cabeça, onde o mentor espiritual (ser desencarnado diretamente responsável pela nossa evolução espiritual) vai mostrando a cada sessão de regressão o que o paciente precisa saber, preparando-o psicologicamente.

Por isso, peço sempre para que o paciente não descarte nada do que lhe vem (pensamentos, sentimentos, impressões e/ou sensações físicas).

Veja:

Filme Bezerra de Menezes na Integra

Visão Espiritualista da Cura

Ramatís Um Grande Mestre

No entanto, como todo jogo de quebra-cabeça, no início as sessões de regressão se mostram confusas, sem sentido, fragmentadas, mas depois tudo se encaixa, fica claro.

Como aprendemos a confiar mais em nossa lógica racional do que na nossa intuição, é natural nessa terapia o paciente ter dificuldade em distinguir sua voz interior e a voz dos espíritos.

No final do tratamento é o mentor espiritual que fecha o quebra-cabeça, fazendo com que o paciente saiba a causa de seu (s) problema (s), bem como sua resolução.

Ao regredir me relatou:

“Estou me vendo deitada numa cama, me levanto.

Sou bem parecida nessa vida passada – tenho uma aparência similar com a de hoje -, meus cabelos são compridos e ondulados, devo ter também a mesma idade da vida atual.

Depois que penteei o cabelo, tirei uma arma da gaveta da penteadeira e atirei nele”.

 Alguns ruídos e fenômenos:

Vozes e gemidos: primeiramente você tem que ser bem racional.

Procure saber se não foi na casa do vizinho ou mesmo na sua rua.

Alguns internautas me escrevem perguntando porque ouvem chamar o seu nome.

Quem está querendo se comunicar? Pode me dizer o nome?

Observe se escuta chamar novamente.

E, mesmo tendo problemas psiquiátricos nada impede que seja médium também.

Só que no surto a pessoa está com sérios problemas psiquiátricos.

Necessário um tratamento psiquiátrico para sair do surto e acompanhamento espiritual também.

Quantas pessoas foram internadas em hospícios como se fossem loucas e eram apenas médiuns?

Agora, o médico tem que respeitar a crença do paciente e ficar atento ao diagnóstico diferencial.

Quando eu trabalhava num pronto socorro de saúde mental atendia uma senhora muito interessante.

Ela afirmava de modo categórico que era uma rainha e merecia ser tratada como tal.

No entanto, um quadro de doença psiquiátrica pode estar misturado a uma obsessão espiritual.

Ouvi uma batida forte na porta do meu quarto durante a madrugada.

Fazia um mês que o pai dos meus filhos havia desencarnado.

Mas quero ver as crianças.

Quando os espíritos querem se manifestar arrumam um jeito.

Exemplo de um efeito inteligente: pancadas no teto, na porta.

– Se estiver alguém aí responde com três pancadas.

– Pode ser que realmente o espírito responda, mas, por favor, não saia correndo!

Se for por uma causa justa os espíritos mais grosseiros podem ser utilizados por espíritos mais evoluídos.

Sempre com o intuito de ajudar aquela casa ou fazer com que um espírito familiar desencarnado dê seu recado.

Podem adquirir formas variadas de acordo com suas vidas pregressas e sua evolução espiritual.

Outra vez, ao entrar no banheiro para tomar banho ouvi alguém me chamar da porta do banheiro.

 

Facebook Comments

Deixe uma resposta