Encontro de Chico Xavier com Ashtar Sheran, Sabe Quem É?

Ashtar Sheran (ou simplesmente Ashtar) é um ser extraterrestre que, como os que nele creem, comanda uma vasta armada de naves espaciais.  

O Encontro de Chico Xavier com Ashtar Sheran

George Van Tassel

As supostas canalizações (psicografias) e/ou contatos físicos com Ashtar Sheran datam desde inícios da década 50.

Comunicado de Ashtar

18 de julho de 1952

 

“    O objetivo dessa organização é, em certo sentido, para salvar a humanidade de sí mesma. Há alguns anos, seu tempo, seus físicos nucleares penetraram o “Livro do Conhecimento”. Eles descobriram como explodir o átomo. Repugnante como os resultados têm sido, que esta força deve ser utilizada para a destruição, não é comparado com o que pode ser. Nós não temos nos preocupado com a sua explosão de plutónio e U235. Estamos preocupados, no entanto, com a sua tentativa de explodir o elemento hidrogênio. Esse elemento é vivificante [Original: life giving], juntamente com cinco outros elementos no ar que você respira, a água que você bebe, na composição do seu ser físico. Em muito de seu planeta material está esta substância atômica vivificante, hidrogênio.

George Van Tassel publicou um livro em 1952 intitulado: “I Rode A Flying Saucer”

Ashtar Sheran

Ethel P. Hill

O seu sotaque, em inglês, era uma versão avacalhada do inglês da King James Version, com palavras como thyselves, um neologismo baseado em thyself, quando o correto, desde o inglês antigo, é yourselves.

MFK-Berlin

Ainda nessa mesma década, em 1956, Ashtar contatou um círculo de médiuns alemães;

Foi por meio desses médiuns que Ashtar Sheran passou a dizer que era de um planeta chamado Methária, do sistema estelar Alfa-Centauro e que sua raça ou grupo se intitulava os “SANTINER”.

Esse círculo de médiuns alemães continuaram tendo contatos “telepáticos” (canalizações, psicografias) com Ashtar até, ao que parece, 1975.

Eugenio Siragusa

Ainda que os “avistamentos” de Siragusa remontem até 1952, não foi até 1962 que ele realmente teve encontros “físicos” com seres do espaço no Monte Manfré.

Paulo Antonio Landulfo Fernandes

Vale a pena destacar outro contactado importante, e dessa vez, em solo brasileiro – o baiano Paulo Antonio Landulfo Fernandes.

Paulo Fernandes em 1969, na idade de 21 anos, teve um suposto encontro “físico” com Ashtar Sheran.

“    O objetivo maior do CEEAS é a pesquisa da Exobiologia, ou seja, da vida além da Terra e, assim, da evolução das

espécies no Universo. Faz parte também de seu fundamento, enquanto instituição, difundir o vegetarianismo, o não uso de

drogas e, ainda, alertar para outros perigos maiores que a Humanidade corre com a iminência de mais um confronto

mundial de potências e seus inimaginavelmente danosos experimentos nucleares.”

Em 1972 foi lançado o livro de Paulo Fernandes “O Jovem que se Encontrava com Extraterrestres”

Ashtar Sheran

Revista ISTO É

Segundo reportagem da revista Isto É de 16 de junho de 1999, Ashtar Sheran seria um alienígena loiro, de 1,90 m de

altura, que se veste como o Capitão Kirk, e preside uma espécie de ONU intergalática, da qual Jesus Cristo (chamado

de Lord Sananda) é o representante da Terra.

QUEM É ASTHAR SHERAN?

A primeira vez que ouvi falar deste nome como entidade extraterreste foi  há mais de trinta  anos quando passei por uma

montra de Livraria em Setúbal onde estavam expostas várias  obras psicografadas de vários autores, tendo-me chamado

a atenção um livro de capa azul  intitulado “Os OVNIS – A Missão Celeste de Asthar Sheran”  comunicando aos homens

da  terra os objetivos de sua Missão.

As mensagens publicadas no livro foram todas recebidas durante o ano de 1959 e a 1ª  Edição foi publicada em Berlim

nesse ano pelo autor Herbert Victor Speer, um médium  telepata alemão bastante conceituado a nível mundial, tendo

havido depois publicações  feitas em Itália pela Editora “ALAYA” na década de 70, traduzido por Angélica Stenghel

Colle, com Edição Portuguesa em Fevereiro de 1980.

As mensagens de Asthar Sheran falam de seus antepassados, os ‘Santini’, que ajudaram  Moisés e os hebreus na

travessia do deserto quando foram libertados da escravidão do  Egipto e foram acompanhados pelo caminho por “colunas

de nuvens” que lhes fazia  sombra durante o dia e os protegia também dos soldados do Faraó que os perseguia à

distância com ordens para os matar.

Facebook Comments

Deixe uma resposta