Espírito Pai Légua SER UM ENCANTADO

Espírito Pai Légua. Na região dos Cocais, no leste do Maranhão (nordeste brasileiro),

Espírito: Pai Légua [SER UM ENCANTADO] – Médium: Wanderson Fortes

se localiza um município chamado Codó. Com cerca de cento e vinte mil habitantes, ele é conhecido
no âmbito da literatura local sobre religiões afro-brasileiras e encantaria como o espaço
de referência dos encantados da mata, do povo de Codó, da família de Légua Boji Buá

Espírito Pai Légua

(COSTA EDUARDO, 1948; BARROS, 2000; FERRETTI, 2001; ARAÚJO, 2008;
AHLERT, 2013).

Essas referências falam sobre um conjunto heterogêneo de seres
comumente denominados como encantados, que são recebidos nos corpos de pessoas
por intermédio da incorporação, mas também notados em diferentes sensações, vistos
em sonhos ou materializados em lugares e objetos que os pertencem.

Encantados são seres mais que humanos que, no passado, foram pessoas. Sua
mudança de estatuto aconteceu diante do seu desaparecimento

(sem morte),

momento em que se encantaram, passando a viver em um entre mundo de localização não exata
chamado de Encantaria.

Mas é desse contexto que se deslocam para o plano humano de
existência, mas onde se fazem presentes para trabalhar, aconselhar, dançar e acompanhar
determinadas pessoas.

Em Codó, mas os encantados são recebidos no cotidiano e também
nos rituais de uma religião afro-brasileira denominada Terecô ou Tambor da Mata, mas que,
por sua vez, se organiza em torno de tendas de pais e mães de santo.

Mas o encantado mais conhecido do Terecô de Codó é Légua Boji Buá da Trindade,
tido por alguns como de origem nobre, mas também como um importante vaqueiro,
aguerrido e apegado à confusão, valente, duro e consumidor de bebida alcoólica.

Facebook Comments